Tapes

Com 17500 habitantes e debruçada sobre a Lagoa dos Patos em sua formação chamada Saco de Tapes, a cidade está a 95 Km de Porto Alegre.
Na região do atual município de Tapes, na primeira década do século passado, ementos vindos de Rio Pardo e outras paróquias vizinhas, formaram um núcleo onde povoamento denominado Dores de Camaquã.

Em 1817, Manuel José Alecanstro obteve, por doação de D. João VI, a sesmaria de N. Sra. do Carmo. Sem sucessores, em 1832, instalam à margem da Lagoa dos Patos uma charqueada para exploração da indústria do charque. Na proximidade desse estabelecimento, teve origem a cidade, hoje sede municipal.

O nome atual deriva do barco Tapes de propriedade do Coronel Patrício Vieira Rodrigues, antigo dono, das terras onde hoje é a cidade.
Tapes foi habitada inicialmente por índios tupi-guarani,atraídos, atraídos pela fertilidade do solo e pela abundância das pastagens da região, Em 1808, imigrantes açorianos, estabeleram-se na área, instalando estância e charqueadas, que foram a base da economia local por algum tempo.

Posteriormente decorrentes da própria configuração geográfica, desenvolveram-se a pratica da agricultura e pecuária, que constiturem atualmente duas das principais fontes de economia atual. Mesclada com a cultura indígena,os açorianos seguidos de imigrantes de diversas partes da Europa, desenvolveram aqui suas tradições, usos e costumes.

A Praia dos Pinheirais tem uma extensão de 6 Km com orla de areias brancas e mata nativa junto ao loteamento, com aproximadamente 500 residências de veraneio e casas de moradia. O Camping dos Pinheirais tem capacidade para 500 barracas e 50 traillers.

A praia possui toda infra-estrutura do camping, cantina, churrasqueiras ao ar livre, banheiros, supermercado, restaurante, play ground, cancha de bocha, quadras de futebol sete e de vôlei.

O saco de Tapes é apropriado para diversos esportes náuticos como: jet ski, canoagem, windsurf, além de velejar, além da natação que tem aí uma etapa do campeonato mundial.

One thought on “Tapes

Deixe uma resposta