Atrativos Turísticos de Camboriú

Turismo ecológico e rural

A topografia do município, rica em formações rochosas, rios, cachoeiras e cascatas, faz de Camboriú uma boa opção para o turismo ecológico.

Existem vários hotéis fazenda na região.

Destaques naturais para o Bico da Pedra, a Cachoeira Seca, o Salto dos Pilões, a Cachoeira Tereré e o rio Forquilhinha.


Camboriú

Formações rochosas, rios, cachoeiras e cascatas de água cristalina fazem de Camboriú uma boa opção para o turismo ecológico e rural.

Cidade fundada em abril de 1884, tem no extrativismo de granito, agricultura, turismo e comércio suas fontes de renda.

Camboriú é a cidade mãe de Balneário Camboriú, situada em território que antes lhe pertencia. O crescimento do Balneário e a vocação para a atividade de turismo, desmembraram as duas cidades.

Camboriú tem hoje próximo de 39 mil habitantes com base Açoriana. Está no Litoral Norte, a 8 m do nível do mar e a 65km de Florianópolis.

As cidades de seu entorno são: Balneário Camboriú, Itajaí, Itapema, Florianópolis, Blumenau, Porto Belo e Navegantes.

A história de Camboriú inicia em 1758 quando colonizadores açorianos, vindo de Porto Belo, decidiram parar na região de Camboriú, iniciando o povoamento da cidade. Subiram pelo rio Camboriú em busca de terras férteis para a agricultura e, com o tempo, descobriram outras riquezas na região, como a extração de granito e a pesca.

A melhor infra-estrutura hoteleira de Camboriú está nos seus hotéis fazenda, que oferecem também turismo ecológico e de aventura.

Garuva

Um colonizador francês planejava a implantação de uma comunidade baseada no socialismo utópico na área do município que foi fundado (emancipado) em 20 de setembro de 1973.

POssui em seu calendário trës festas: em Junho (Festa do Padroeiro), em julho (Festa do Colono) e em outubro (Festa da Banana).

Com 11.378 habitantes de origens francesa e portuguesa, tem an agricultura sua base econômica.

Está na região Nordeste do Estado de Santa Catarina, na microrregião de Joinville, a 226km de Florianópolis e nas proximidades de Itapoá, Joinville e São Francisco do Sul.

A primeira tentativa de implantar o município de Garuva aconteceu em 1841, com o colonizador francês Benoit Jules de Mure. Ele inspirou-se num projeto do filósofo francês Charles Fourier e planejava a implantação de uma comunidade baseada no socialismo utópico. As propostas revolucionárias foram postas em prática em duas léguas de terra da antiga Península do Saí, às margens da baía de São Francisco. A estrutura baseava-se em uma colônia de produção e consumo, mas o sistema não deu certo. A iniciativa de colonizar a região, contudo, originou o povoado de São João do Palmital, ligado a São Francisco do Sul. O desenvolvimento arrastou-se por décadas. A maioria dos moradores da colônia seguiu para o norte do Estado à procura de trabalho e, próximo a BR-101, formou outra comunidade, onde hoje fica a sede do município. Somente a partir de 1914, com a chegada dos portugueses Cândido da Veiga e Tolentino Salvador, a localidade progrediu com mais rapidez. O movimento popular pela emancipação do distrito começou em 1963 e culminou em 29 de fevereiro de 1964, quando Garuva foi desmembrada de São Francisco do Sul, tornando-se município autônomo.

Itapoá

Com as águas mais quentes do sul do Brasil, Itapoá oferece 100% de balneabilidade durante o ano todo.

Cidade fundada em 26 de abril de 1989, 12.500 habitantes com origens francesa e portuguesa, clima temperado úmido com variações entre 18 e 30ºC, tem no turismo sua principal fonte econômica, seguido da pesca e da agricultura.

Localizada a 80km de Joinville e 260km de Florianópolis, fica nas proximidades de Garuva e São Francisco do Sul.

Os índios Carijó, que habitavam a região, deixaram registros em diversos sambaquis espalhados por Itapoá: na Estrada do Sol, ao longo das margens dos rios Saí-Mirim e Saí-Guaçu, na entrada da cidade. O município, que pertenceu a São Francisco do Sul e a Garuva, tornou-se independente em 1989.

Navegantes

Totalmente voltada para o mar, a cidade de Navegantes é sede de uma das maiores festas do Estado: a de Nossa Senhora dos Navegantes, padroeira dos pescadores do sul do Brasil.

Cidade fundada em 26 de agosto de 1962 tem sua base econômica no mar, com destaque para as várias indústrias de pescado. Navegantes é o terceiro maior centro pesqueiro da América Latina, o primeiro do País e sedia a maior empresa brasileira de pescado, a FEMEPE. O município conta com 40 estaleiros grandes e pequenos e já foi o segundo maior parque de construção naval do Brasil.

Hoje com 40 mil habitantes de origem açoriana, está a 92 Km de Florianóplis e próximo de Itajaí, Balneário Camboriú, Penha, Itapema.

O clima predominante é o temperado, com estações bem definidas. A temperatura média é de 20ºC.

Em 1700, viviam na margem norte do Rio Itajaí-Açu e ao longo das praias, no atual território de Navegantes, mais de 40 famílias de pescadores e agricultores de origem açoriana. O primeiro morador teria sido João Dias D`Arzão, chegado de São Francisco do Sul em busca de minerais preciosos. A cidade fez parte de Itajaí por muitos anos, tornando-se independente em maio de 1962. Navegantes é mais conhecida por seu aeroporto, o segundo maior do Estado, de onde decolam mais de 20 vôos diários, possibilitando conexões para todo o País e o Exterior.

Hotéis e Pousadas em Penha

Pousada Vila D’Itália
Ela é uma vila, casa grande rodeada de árvores e varandas em clima de
tranqüilidade e discrição.
É uma pousada e hospeda visitantes de bom gosto que vêm para as lindas praias da Penha.
Rua 3.350 – Luiz Vicente da Silva, nº 183
Praia da Armação
Fone: 47 3345 9873
E-mail: pousadaviladitalia@pousadaviladitalia.com.br
http://www.pousadaviladitalia.com.br

Hotel Mirante do Bosque
Harmonia perfeita entre vista panorâmica, natureza, conforto e muito bem-estar.
Fone: 47 3345 0410
E-mail: hotel@mirantedobosque.com.br
http://www.mirantedobosque.com.br

Hotel Pousada Jardim das Flores
Fone: 47 3319 8929
E-mail: reservas@pousadajardimdasflores.tur.br
http://www.pousadajardimdasflores.tur.br

Pousada Pé na Areia
Fone: 047 3345 5201
E-mail: pousada_penaareia@hotmail.com

Penha

Penha

Penha

Penha tem atrações como a bicentenária Festa do Divino, as construções históricas, belas praias e é Terra do Beto Carrero World. A cidade é a maior produtora brasileira de marisco.

Fundada em 19 de julho de 1958, tem, além do turismo, a pesca e a maricultura como o forte da sua economia, que ocupa o primeiro lugar no Brasil no cultivo de marisco. A produção chega a 3.500 toneladas anuais.

Com população de 18.000 habitantes de base Açoriana, Penha está no Litoral Norte/SC, a 120km de Florianópolis. Tem clima temperado úmido e está próximo de Itajaí, Porto Belo, Bombinhas, Blumenau, Navegantes, Joinville, Barra Velha.

A História de Penha começa no século XVIII, com a chegada de açorianos atraídos pela pesca da baleia, abundante na costa catarinense àquela época. Esses colonizadores se fixaram na costa da Baía do Itapocorói, que servia de atracadouro para embarcações, fundando a Armação dos Baleeiros do Itapocorói.

É a construção da Capela de São João Batista, em 1759, que marca efetivamente o início do antigo povoado. Diversas construções foram surgindo em torno da capela e transformaram a Armação num importante pólo econômico. Com a diminuição dos cardumes de baleias, ganham importância a pesca artesanal e o comércio rudimentar de subsistência. A partir do século XIX, expande-se com rapidez a Freguesia de Nossa Senhora da Penha, que passa a centralizar o então distrito de Itajaí, emancipando-se em 1958.

Atrativos Turísticos de Balneário Piçarras

A combinação do mar com as belezas naturais e a excelente estrutura urbana faz de Balneário de Piçarras uma praia de elite.

Ao longo da costa há belas residências e casas de veraneio, com ruas ladeadas por intenso comércio.

Restaurantes, bares e danceterias reúnem gente bonita para longas e animadas noites. Destacam-se os shows de verão, o carnaval de rua, a Feira de Negócios e Atrações de Inverno de Piçarras (julho), a Festa do Colono e o Festival do Folclore.

Destaque para a Praia de Piçarras, a mais central, propícia para banhos e a prática de esportes náuticos, e para a Praia das Palmeiras, de águas calmas, que faz divisa com a praia de Itajuba, pertencente a Barra Velha.

Conheça também a Barra do rio Piçarras, a Ponta do Jacques e as Ilhas Itacolomi e Feia.

Balneário de Piçarras tem boa infra-estrutura turística, distribuída ao longo dos seus 7 km de costa.

Balneário Piçarras

Com 7km de praias, Balneário de Piçarras atrai milhares de visitantes todo verão.

Fundada em 14 de dezembro de 1963, tem na pesca e na agricultura sustentação para sua economia, embora o turismo seja a base de seu desenvolvimento.

Balneário Piçarras tem uma população de 11 mil moradores fixos, com base Açoriana, e cerca de 100.000 habitantes no verão. Clima temperado, com temperatura média entre 18ºC e 30ºC está a 110km de Florianópolis e próxima de Itajaí, Penha, Barra Velha, Navegantes, Joinville.

Os primeiros moradores de Balneário Piçarras – portugueses, sobreviventes de um naufrágio – chegaram à região por volta de 1758.

Os colonizadores dedicaram-se à caça da baleia e fundaram a cidade, que cresceu em um estreito banco de terra localizado entre o rio e o mar. O nome da cidade deriva das rochas argilosas encontradas em grande quantidade no subsolo do município: o piçarro.

Balneário Piçarras pertenceu a São Francisco do Sul e a Penha e tornou-se município em 1963.

Atrativos Turísticos de Balneário Barra do Sul

Balneário Barra do Sul tem 12km de praias, onde se reúnem anualmente milhares de turistas, especialmente no verão, por causa dos seus cenários nativos ainda preservados, da vegetação atlântica, restingas, dunas de areia, belas lagoas, areias monazíticas de qualidades terapêuticas e um agradável clima subtropical.

Os melhores bares e restaurantes da cidade estão na Praia da Boca da Barra. Também à beira-mar está o local mais concorrido da cidade, conhecido como Point da Dô, ponto de encontro de surfistas e onde se realizam diversos campeonatos.

Praias

Apesar do pequeno litoral, Barra do Sul reúne opções para todo tipo de visitante. A Praia do Bispo, com suas belas dunas, é a preferida dos surfistas.

A Praia da Picama, de águas calmas, é ideal para banhos de mar e a mais freqüentada por famílias com crianças.

A Praia da Salina é muito procurada por suas areias monazíticas, de qualidades terapêuticas, boas para o tratamento de reumatismo, artrose e outras doenças crônicas.

A Praia da Boca da Barra é a preferida pelos esportistas, por ser ideal para a natação e a prática de esportes náuticos. Durante o verão, o Projeto Verão da Barra diverte os 50.000 turistas que visitam a cidade.

Natureza

A natureza é exuberante na Barra do Sul, especialmente pela Lagoa de Barra do Sul e os Rios Perequê, Ribeirão Cardoso e Areias Grandes, muito procurados para a pesca.

Visite também a Lagoa Maria Fernanda e a Ilha do Remédio. Há também as ilhas Feia, Araras, Instriptinga e Islobo, cujas águas são ideais para pesca de mergulho.

Barra do Sul conta com 3 hotéis e kitinetes para alugar, além de bons restaurantes e várias opções de lazer.

Balneário Barra do Sul

Famosa como praia selvagem, Barra do Sul atrai os turistas pela riqueza das suas belezas naturais.

Fundada em 09 de janeiro de 1992, Balneário Barra do Sul preserva a comemoração do dia de Nossa Senhora dos Navegantes, a 02 de fevereiro.

O mar é a principal fonte de renda de Balneário Barra do Sul, que tem na pesca, no turismo e em algumas indústrias a base da sua economia.

Com uma população de 6.000 habitantes de origem alemã, espanhola e italiana, clima Subtropical e temperatura média de 23ºC, está a 45km de Joinville e nas proximidades de Barra Velha, São Francisco do Sul, Araquari. Fonte

Situada numa região habitada apenas por índios até o século XIX, época em que chegaram os primeiros colonizadores, Balneário Barra do Sul começou a desenvolver-se realmente a partir da metade do século XX, com a implantação de diversas colônias de pescadores. Tornou-se independente de Araquari em 1992.

Atrativos Turísticos de Barra Velha

Barra Velha é um dos balneários mais procurados durante o verão pela beleza de suas praias e pela ótima infra-estrutura, mas os diversos eventos promovidos ao longo do ano atraem turistas em qualquer época.

Acordar cedo para ver o raiar do sol na Praia Central – onde os barcos formam um bonito e colorido visual ao retornarem do mar, carregados de peixes e camarões frescos, é sempre um bom programa.

A Praia Central é a principal da cidade e uma das mais freqüentadas, mas a que tem melhor infra-estrutura e a mais badalada é a Praia de Itajuba, de ondas fortes, próprias para a prática de surf.


Outras praias concorridas são: a Praia da Península, paralela à lagoa e palco de movimentadas gincanas de pesca; a Praia do Tabuleiro, preferida dos surfistas; as praias das Pedras Negras e das Pedras Brancas, localizadas num escarpado com divisão natural de cores, fenômeno raro no litoral brasileiro, e a praia do Grant, antigo refúgio de corsários e piratas.

A Lagoa de Barra Velha, paralela ao mar, com 6km de extensão, forma uma península de 200m de largura e é o paraíso dos pescadores pela fartura de peixe. Trata-se de um belo recanto ao ar livre, com águas calmas e boas para esportes aquáticos. A Barra da Lagoa, encontro das águas do rio Itapocu com o mar, é um local de exuberante natureza, também ideal para pesca.

Patrimônio Histórico

Conta-se que há muito tempo, numa noite de São João, um barco afundou na costa de Barra Velha e os náufragos se salvaram graças à fogueira montada na areia da praia, que lhes serviu como orientação. Em agradecimento, construíram a Igreja de Pedra para o povoado.

Cultura

Para quem vai à cidade, vale visitar o Morro do Cristo, a Sereia do Costão, o Cruzeiro dos Náufragos – onde houve um naufrágio de combatentes da Guerra do Paraguai, em 1865 –, o Monumento do Pescador, a Estátua de Iemanjá e a da Índia Mani, uma homenagem aos índios carijós, esculpida pelo artista José Cristóvão Batista.

Eventos

Milhares de turistas visitam a cidade por causa de festas como a de Nossa Senhora dos Navegantes, com procissão marítima, em fevereiro;

Divino Espírito Santo, maior evento da cidade, entre maio e junho;

FENAPIR, Festa Nacional do Pirão, criada para enaltecer um dos pratos típicos da região.

Infra-estrutura turística

Barra Velha é um dos balneários mais procurados do litoral norte, graças a suas belas praias. Tem boa rede hoteleira, uma das maiores do norte do Estado, com 12 hotéis e mais de 1.300 leitos, além de restaurantes e toda infra-estrutura.

Barra Velha

Um dos balneários mais procurados durante o verão pela beleza das praias, Barra Velha é conhecida também pela rotina de cidade pesqueira e pelo espetáculo dos barcos na areia ao amanhecer.

Fundada em 07 de dezembro de 1961, Barra Velha possui 14 mil habitantes, clima temperado e proximidade com Balneário Barra do Sul, Piçarras, Penha, São João do Itaperiú e Navegantes.

Apesar de ser caminho das expedições de exploração européias, Barra Velha só foi colonizada a partir de 1812, graças à pesca da baleia e à vinda dos primeiros imigrantes açorianos. Mais importante reduto de pesca da baleia do litoral catarinense, a cidade já pertenceu a São Francisco do Sul, sendo elevada a distrito em 1861. Sua emancipação política só aconteceu 100 anos depois.

São Francisco do Sul

São Francisco do Sul

São Francisco do Sul - porto

Terceira cidade mais antiga do Brasil, a cidade de São Francisco do Sul, localizada na ilha do mesmo nome, oferece aos turistas inúmeras belezas históricas e naturais.

Fundada em 23 de março de 1958, São Francisco do Sul é o quinto maior porto brasileiro em movimentação de contêineres. Mais de 70% da renda do município são gerados pela movimentação portuária, com destaque também para o turismo e o comércio.

Possui 32.000 habitantes com predomínio da etnia Portuguesa, origem de sua colonização. Localizada no Litoral Norte, a 188km de Florianópolis, está próxima de Joinville, Itapoá, Garuva, Araquari, Balneário Barra do Sul, Barra Velha, Jaraguá do Sul e Corupá.

Clima temperado, com temperatura variando entre 15ºC e 25ºC. Tem ótimas praias além de ter a Baía da Babitonga como destino de ótimos passeios.

São Francisco do Sul é a terceira cidade mais antiga do Brasil – a ilha foi descoberta em 1504 pelo francês Binot Paulmier de Goneville. Em 1553 chegaram os espanhóis, que construíram a capela de Nossa Senhora das Graças, mas o povoamento efetivo da cidade só aconteceu a partir de 1658, com a chegada de Manoel Lourenço de Andrade, sua família e uma leva de escravos. Em 15 de abril de 1847, recebeu o título de cidade. Com a construção da rede ferroviária, a região teve um forte impulso de desenvolvimento. A importância dos trens para a economia de São Francisco do Sul se mantém até hoje, já que neles os produtos do município são transportados até o porto. No século XX, a localização do porto mudou, permitindo maior movimento de navios. O tombamento do centro histórico da cidade garantiu a preservação dos prédios e da riqueza arquitetônica da época colonial.