Restaurantes em Tangará

Moinho Velho
Próximo a SC 455
Localizado à 2 Km do centro da cidade
Fone: 49 3532 1545

Parque Natural Fritzen
Próximo a Rodovia SC303
Localizado à 4 Km do centro da cidade
Fone: 49 3532 1215 Ramal 22


Salão Scheid
Rodovia SC 303
Localizado à 6 Km do centro da cidade
Fone: 49 3532 1598

Sítio São Pedro
Localizado à 9 Km do centro da cidade.
Na Linha Bracatinga
Fone: 49 9129 8335 ou 9964 7728

Hotéis e Pousadas em Tangará

Hotel Rio Bonito
Avenida Irmaos Picolli, 580
Centro
Fone: 49 3532 1033

Pousada Rural Rancho Moinho Velho
Próximo a SC 455, s/n
Localizado à 2 Km do centro da cidade
Fone: 49 3532 1545

Pousada Rural Sítio São Pedro
Sítio São Pedro
A 8 Km do Centro da Cidade
Em Linha Bracatinga
Fone: 49 9129 8335 ou 996


4 7728

Vôo Livre em Tangará

Vôo Livre

Considerado um dos melhores locais de toda a região Sul do país para as práticas de parapente e asa delta, o Morro Agudo possui uma rampa de decolagem no alto de seus 1.075 metros, a 8 km do centro, com acesso a pé ou de carro.
Os vôos são organizados pelo Clube do Vôo Livre Tangará.
Fone: 49 3532 7025 ou 3532 1074


Vinícolas de Tangará

Vinícola Piccinin – O Porão do Nono

Cantina de vinhos coloniais artesanais.
Aproveitando a herança deixada pelos imigrantes italianos, a família Piccinin oferece os melhores vinhos coloniais da região.
Situada a 3 km do centro da cidade na Linha Santa Catarina.
Agendar visitas.
Fone: 49 3532 1092


Vinícola Monte Carvalho

Vinícola sexagenária que vinifica a uva através da utilização de métodos tradicionais, oferecendo ao visitante o conhecimento do processo da vinificação da uva através da história dos imigrantes italianos até os dias atuais. É a maior cantina de Santa Catarina em capacidade de armazenagem de vinho.
Rua Francisco Nardi, 434.
Centro da cidade

A visitação à vinícola está organizada da seguinte forma:

Recepção com show artístico do folclore étnico tangaraense (para grupos acima de 10 pessoas)
Visita as instalações da vinícola, com conhecimento do processo de fabricação do vinho.
Degustação de vinhos e produtos coloniais.
Possibilidade de compras.
Agendar visitas
Fone: 49 3532 2063 ou 3532 1212
E-mail: vinhos@montecarvalho.com.br
http://www.montecarvalho.com.br

Vinícola Monte Vecchio

Visita a Vinícola e conhecimento do processo de vinificação da uva.
Degustação de vinhos
Possibilidade de compras

Agendar visitas.
Fone: 49 3532 2099
E-mail: vinhos@vinhosmontevecchio.com.br
http://www.vinhosmontevecchio.com.br

Vinícola Panceri

Proporciona visitação à Vinícola com conhecimento do processo da vinificação da uva.
Degustação de vinhos.
Possibilidade de compras.
Visita a propriedade e aos vinhedos.

Localização: Linha Leãozinho – a 18 Km da cidade de Tangará e a 6 Km da Rodovia SC 458, passando pelo município de Ibiam.

Obs:Para grupos em ônibus trucados,de Ibiam até a Vinícola Panceri é necessário transporte alternativo (a vinícola providencia o transporte com agenda prévia).

Agendar visitas:
Fone: 49 3566 7700 ou 3592 6510
E-mail: panceri@panceri.com.br
http://www.panceri.com.br

Tangará

Tangará foi fundada em dezembro de 1948. Anteriormente se chamava Rio Bonito teve seu início em 1.910 com a instalação de uma “parada de trens” pela companhia construtora da estrada de ferro São Paulo – Rio Grande do Sul.

Imigrantes de origem portuguesa foram os primeiros moradores e, a partir de 1918, italianos e alemães iniciaram a colonização das terras do “Rio Bonito” que em 1948 emancipou-se politicamente e em 1949 foi instalada a administração municipal de Tangará.

O cultivo e a industrialização da uva em grande escala, aliada a sua qualidade e diversidade, faz Tangará se destacar no estado de Santa Catarina como o maior produtor de uvas, e um dos mais expressivos produtores de vinho justificando a denominação: “Terra dos Bons Vinhos”.

Tangará recebe a todos os visitantes oferecendo as belezas e delícias de passeios a pomares, parreirais, cantinas, vinícolas, o bucólico viver na roça e o encantamento das tradições culturais étnicas no folclore e na gastronomia: a comida da “nona” sempre acompanhada do bom vinho do “nono”, fonte de alegria e do bem viver.

De estrada-de-ferro à asa-delta, Tangará oferece ao turista um belo e variado cardápio de atrações turísticas. Com cerca de 8 mil habitantes com base nas etnias italiana e alemã, está no Meio Oeste do Estado, no Vale do Rio do Peixe, 24 Km de Videira e 430 Km de Florianópolis.

Com clima temperado, Tangará está a 641 m do nível do mar.

Turismo: Colonizada por alemães, italianos e portugueses, a cidade de Tangará se caracteriza pela riqueza histórica e o potencial turístico. São exemplos a tentativa de achar petróleo na região (1958), a construção da estrada-de-ferro e a descoberta do Morro Agudo, ponto de encontro dos apaixonados pelo vôo livre. A tradição dos bons vinhos, as diversas cantinas escondidas nas estradinhas de terra, as danças típicas e a comida italiana completam o leque de opções para os visitantes.

Natureza: Tangará oferece boas opções para o turismo rural e o ecoturismo. Visite a Casa de Pedra, uma caverna com aproximadamente 200m2; a Fazenda Raquel, onde fica um dos melhores pontos do Estado para a prática do vôo livre, parapente e asa-delta; o Sítio Scolaro e a Fazenda Rural Morro Agudo, onde se pode praticar cavalgada.

Enoturismo: Tangará é um centro de enoturismo, por ser um dos maiores produtores de vinho do Estado. O turista pode participar da colheita, acompanhar o processo de fabricação do vinho e, claro, degustar a bebida. Durante o passeio, grupos folclóricos de dança e canto acompanham os turistas, resgatando a cultura dos imigrantes, em especial a dos italianos, predominante no município.

Infra-estrutura turística: Tangará conta com boa rede hoteleira e gastronômica, além de operadoras de turismo de aventura, ecológico e rural.

Conheça as Vinícolas de Tangará…

Atrativos Turísticos de Videira

A maioria dos atrativos turísticos de Videira está ligada ao vinho, como o Museu do Vinho, onde se reproduz exatamente a forma de produção do vinho na época da colonização.

A Estação do Vinho é uma das mais completas lojas de vinho do Estado e um lugar ideal para encontrar os amigos degustando pães e vinhos de qualidade.

A Estação possui mais de 100 variedades de vinhos, nacionais e importados, incluindo todos as variedades regionais.

Nas localidades do Interior, o inconfundível estilo da arquitetura dos colonos italianos revela-se nas casas grandes e quadradas, com telhados em quatro águas, onde no porão sempre há uma pipa de vinho reservada para o consumo diário. Comumente, nessas casas também se fabrica o vinho artesanal e o turista que passa pela cidade não pode deixar de experimentá-lo.

Vá também às Praças Nereu Ramos e do Expedicionário, ambas no centro. Visite a Igreja Matriz, o Centro de Cultura, o horto florestal, o café colonial Ponto 48 e a Choperia Alemã, localizada na antiga estação ferroviária.

Por sua topografia acidentada, característica da região, Videira possui muitos atrativos naturais: rios, cascatas e áreas verdes. Vários sítios e fazendas da região são excelentes para a prática do turismo rural, com direito à gastronomia típica, vinho artesanal, produtos coloniais, passeios, trilhas e visita a pomares.

Eventos

A Festa da Uva, que acontece desde 1942, resgata a memória dos primeiros moradores com a animação italiana característica. A música é destaque, com os violinos e flautas-doces, assim como o canto e, claro, o vinho.

Em fevereiro, a Festa da Vindima comemora a colheita da uva e conduz o visitante à época da colonização, com a reprodução fiel do processo de produção, o uso de trajes típicos e outros hábitos ancestrais.

Videira tem boa rede hoteleira e gastronômica, além do café colonial típico italiano, no Ponto 48, e as inúmeras vinícolas familiares do Interior.

Videira

Videira é a cidade do vinho, das aves, dos suínos e é o berço da Perdigão. Com sua gente simples e hospitaleira, oferece a pacata rotina de uma cidade naturalmente bela e cheia de surpresas.

Fundada em março de 1944 por colonos italianos e alemães, tem na etnia italiana o predomínio dos cidadãos da cidade.

A base econômica de Videira, cerca de 75% do total, decorre da criação e abate de aves e de suínos. A fruticultura, o fumo e o gado leiteiro também são destaque, juntamente com os grãos.

Videira conta com uma população de 41 mil habitantes, e está no Meio-Oeste, a 400km de Florianópolis e 750 m do nível do mar. Fica próxima de Fraiburgo, Salto Veloso e Pinheiro Preto.

A colonização de Videira iniciou-se em 1918, na então Vila do Rio das Pedras. Em 1921, para atrair novos colonos, mudou o nome para Perdizes. A instalação oficial do município aconteceu em 1944 e o nome Videira deve-se ao fato de a região ser um grande centro vitivinicultor do Estado.

Conta-se que já em 1913, antes mesmo da fixação dos primeiros colonizadores, foi colhido um cacho de uvas pesando 1,3kg. O avanço dos parreirais deu origem à primeira Festa da Uva, em 1942. Desde então, o evento é o mais importante do calendário municipal. Videira também é o berço da Perdigão, empresa responsável pelo desenvolvimento da cidade.

Atrativos Turísticos de Treze Tílias

Treze Tílias é um pedacinho da Áustria em solo catarinense. Mais de 60% da população da cidade descendem dos imigrantes austríacos e o intercâmbio com a pátria-mãe é intenso.

A cidade abriga o único consulado austríaco de Santa Catarina e o único do Brasil localizado numa cidade do interior. Com altos níveis de qualidade de vida, baixíssimos índices de analfabetismo e desemprego e o padrão de vida é bastante superior à média nacional.

Situada numa região de geografia acidentada, Treze Tílias é uma boa opção para os adeptos de ultra-leve, com direito a uma vista espetacular da cidade. Vale conhecer também as cascatas Rohrer e Frozza.

Cultura e Arquitetura

O Portal de entrada da cidade, em arquitetura austríaca, é famoso. A cidade de revela na curiosa arquitetura típica da Áustria e nos fascinantes trabalhos em madeira produzidos por seus artistas, um dom herdado dos primeiros imigrantes. As obras espalham-se nos umbrais de portas, nas varandas e nos detalhes de decoração das casas.

Destaque para as esculturas sacras, de todas as formas e tamanhos, pródigas em criatividade e beleza, que são conhecidas no mundo todo. É comum encontrar ateliês onde se produzem esculturas em grande escala – o crucifixo da Catedral de Brasília, por exemplo, foi construído por Godofredo Thaler, neto do fundador da cidade.

Quase todas as construções têm uma torre e um galo, símbolo da disposição do tirolês para o trabalho. A tradição artística está presente no dia-a-dia e nos principais eventos do município, em animadas festas populares e nos grupos folclóricos.

Há vários grupos de dança folclórica tirolesa, com coreografias trazidas pelos imigrantes e mantidas através das gerações. Os grupos apresentam-se constantemente por todo o Brasil e também no Exterior, sempre com muito sucesso.

As danças e os trajes revelam as tradições do Tirol e de outros Estados austríacos. Os italianos também contam com seu grupo folclórico.

A Tirolerfest, Festa da Tradição Austríaca, inclui um desfile histórico, apresentações, noites culturais, romaria até a gruta de Nossa Senhora Aparecida e distribuição de chopp. Há também Festivais do Chopp, no centro da cidade e na comunidade de Babenberg, que são realizados em quase todos os meses do ano.

Patrimônio Histórico

Não deixe de visitar o Castelinho, construído em 1936 para ser o centro administrativo da colônia Dreizehnlinden, que mantém um museu com os pertences dos primeiros colonizadores e uma biblioteca com material referente ao Tirol, além de oferecer aulas de música e dança.

Vá à Comunidade Babenberg, ponto inicial da colonização da cidade, e à Sociedade Cultural Artística Papuan – centro das atividades culturais e recreativas, onde fica a Biblioteca Municipal, o Museu da Imigração, a sala acústica para ensaios da banda Os Tiroleses e do Coral Misto, além de dependências para ensaio de grupos de danças folclóricas e de teatro.

Conheça ainda a Gruta de Nossa Senhora Aparecida, que fica em meio a um belíssimo bosque com lagos, e a Igreja Matriz, localizada no alto de uma colina, de onde se tem uma visão panorâmica de parte da cidade e que é um ponto de convergência religiosa da população.

E ainda a Praça Ministro Andreas Thaler, o Monumento dos Imigrantes, as trilhas da Capela Maria Dreizehnlinden e o ateliê de escultores famosos, como Godofredo Thaler, Bernardo Moser e Suzy Thaler Perondi.

Na cidade há uma boa estrutura hoteleira. São 400 leitos em seis hotéis, com farta comida típica. Não deixe de conhecer o Hotel Tirol, que tem decoração típica austríaca, com detalhes belíssimos em madeira.

Destaque para as festas e a cultura da cidade. No mês de outubro, a Tirolerfest celebra a cultura austríaca, presente na arquitetura, na gastronomia, no idioma e nos vários grupos de grupos de teatro e de dança folclórica.

Treze Tílias

Um pedacinho da Áustria no Brasil, Treze Tílias é também o berço da escultura em Santa Catarina.

Fundada em outubro de 1933, tem na pecuária leiteira a principal atividade econômica no município, juntamente com o turismo.

Treze Tílias tem 5 mil habitantes de origem austríaca. Está no Meio-oeste, a 32km de Joaçaba, 56km de Videira e 495km de Florianópolis.

Seu clima é temperado, com invernos mais rigorosos quando é comum a ocorrência de neve e a temperatura pode chegar a –10°C. Também por estar a 840m acima do nível do mar.

Treze Tílias foi fundada por imigrantes da região do Tirol Austríaco que fugiam da grave crise econômica que assolava a Europa no período entre-guerras. O então ministro da Agricultura da Áustria, Andreas Thaler, trouxe o primeiro grupo de 82 famílias de imigrantes, que chegou à região em 13 de outubro de 1933.

A colônia recebeu o nome de Dreizehnlinden, Treze Tílias, em homenagem ao poeta Wilhelm Weber, que enaltecia a árvore em suas obras – a tília é uma árvore de grande beleza, muito comum na Áustria e que se adaptou muito bem no município. Vários outros grupos de imigrantes, na maioria originários do Tirol Austríaco, juntaram-se depois aos pioneiros.

Atrativos Turísticos de Piratuba

Águas Termais

Com a descoberta do lençol de águas termais sulfurosas, de ricas propriedades minerais e terapêuticas, logo se desenvolveu um balneário, com boa infra-estrutura para o aproveitamento das águas e hospedagem, dirigido pela Companhia Hidromineral de Piratuba. Um jato de água quente de 30m de altura é a maior atração da Estância Hidromineral de Piratuba, que conta com vários hotéis, infra-estrutura de tratamento e de lazer, piscinas, quadras de esporte e acompanhamento médico, incluindo também tratamentos à base de argila, massoterapia, trilhas ecológicas e espaço para a realização de eventos.


Eventos

Kerbfest e a Noite do Hawai

Em janeiro.

FECAPI, Noite Italiana e Festa do Agricultor

Em março.

Semana Farroupilha

Em setembro

Piratuba

A cidade tem nas fontes de águas termais seu maior atrativo. Mas também tem natureza, festas, encontros e muito verde.

Fundada em fevereiro de 1949, Piratuba tem 4 mil habitantes de base de colonização alemã.

São as águas termais que a tornam conhecidas para o turismo. Mas Piratuba não tem somente as águas termais. A agricultura é parte importante de sua economia, com destaque para a produção de milho e de feijão. A bovinocultura de leite e a suinocultura também marcam presença.

Piratuba está localizada no Meio-oeste do Estado, a 60km de Joaçaba, tendo em suas proximidades, ainda, Concórdia e Erechim. Sua altitude é de 430 m.

A História de Piratuba tem início em 1910, com a construção da estrada-de-ferro São Paulo-Rio Grande do Sul. A empresa responsável pela obra, a Brazil Railway, montou na região um acampamento para os operários, mais tarde batizado de Vila do Rio do Peixe.

Em 1964, durante escavações em busca de petróleo, a Petrobrás localizou um lençol de águas termais a mais de 674m de profundidade, o que acabou por trazer e consolidar o turismo em Piratuba.

No inverno ou no verão, as Águas de Piratuba permanecem sempre à temperatura de 38,6ºC. Além de representarem uma opção de lazer, os banhos térmicos são terapêuticos, sendo recomendados por médicos.
Piratuba conta com uma boa rede hoteleira e de restaurantes, que garante o conforto dos visitantes. Existem 14 hotéis e diversas outras alternativas de hospedagem.

Atrativos Turísticos de Mafra

Turismo Ecológico

Além da infra-estrutura turística existente na cidade, Mafra também conta com um bem-estruturado turismo ecológico, que inclui passeios por florestas nativas, áreas rurais, cachoeiras, usinas e sítios paleontológicos.

Grupos folclóricos

Colonizada por diversos povos, mantém as tradições de cada uma de suas etnias em centros culturais e em grupos folclóricos como o Vesná (ucraniano) ou o Bucovino Boarischer Wind (alemão).

Ateliê do casal Doralice e Meinrad Horn

Há 20 anos confeccionam peças de artesanato, usando como material básico madeira e palha de milho. São réplicas perfeitas de navios históricos, na maioria exportadas, concorrendo com as mais sofisticadas maquetes produzidas no Exterior.

Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Templo de fé dos ucranianos que vivem na cidade.

Ponte Metálica sobre o Rio Negro

Inaugurada em 1896 e maior monumento histórico da região.

Praça Hercílio Luz

Vale conhecer algumas peculiaridades da cidade, como as canforeiras, planta de origem asiática da qual é extraída a cânfora.

História

Veja o calçamento de pedra basáltica e os fósseis, que provam que há milhões de anos a região esteve sob o mar.

Eventos

Festa de São José

Em março

Festa de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Tradicional celebração da comunidade ucraniana em homenagem à padroeira, em junho.

Festa Bucovina

Tradicional comemoração dos bucovinos (tchecos), com atividades culturais e folclóricas, comidas típicas e muita animação, em julho.

Festa de Nossa Senhora Aparecida

Em outubro.

Mafra

Colonizada por diversos povos, Mafra mantém vivas as tradições dos seus antepassados, transformando-se em pólo de riqueza e diversidade cultural no Planalto Norte.

Fundada em setembro de 1917, Mafra tem hoje próximo de 50 mil habitantes, das etnias alemã, polonesa, tcheca e ucraniana. Sua economia está baseada na Agropecuária e indústria e ainda destaca-se mundialmente pela produção de mel.

Mafra está no Planalto Norte, a 310km de Florianópolis, 809 m de altitude e está próxima de: Três Barras, Porto União, Major Vieira, Bela Vista do Toldo, Papanduva, Monte Castelo, Itaiópolis.

O município de Mafra tem sua História ligada à de Rio Negro, no Paraná, pois antes da fixação dos atuais limites entre os dois Estados, ambas as cidades formavam um único município.

Até o século XVIII a região era habitada por índios botocudos. A partir de então se tornou caminho e pouso para tropeiros, especialmente depois da abertura da Estrada da Mata. Os ciclos da madeira e da erva-mate trouxeram desenvolvimento para a região, que aos poucos foi adquirindo autonomia econômica, até tornar-se cidade em 1917, depois da Guerra do Contestado.

Atrativos Turísticos de Joaçaba

Famosa por realizar um dos melhores carnavais de rua do sul do País, Joaçaba é passagem obrigatória para quem visita as cidades turísticas da região. A cidade aposta na diversidade e riqueza do seu comércio e na realização de grandes eventos para atrair os turistas.

A cidade preserva os costumes dos seus colonizadores com o incentivo a grupos culturais – Centros de Tradições Gaúchas, escolas de samba, música, dança, teatro e artesanato.

Quem vai a Joaçaba pode viajar pelo mundo da arte visitando os ateliês de artistas locais conhecidos em todo o País, como o Esculturas Pica-Pau (esculturas, principalmente sacras, que variam de 5cm a 2cm); Guanabara Artes e Molduras (pintura em tela e mosaicos); Pintura em Tela e Porcelana e Galeria de Arte Requinte.

Eventos

Romaria de Frei Bruno

Todos os anos, no mês de fevereiro, mais de 20.000 fiéis se reúnem para a Romaria de Frei Bruno(uma das maiores demonstrações de fé católica no Estado de Santa Catarina), que viveu seus últimos 4 anos em Joaçaba e é considerado santo por muitas pessoas. A ele são atribuídas graças e o seu processo de canonização já foi iniciado no Vaticano.


Campeonato Estadual de Automobilismo

Encenação da Paixão de Cristo

Festival de Dança

Em setembro.

Festa das Nações e a Oktober Compras

Em outubro.

Expojoaçaba

Feira da indústria, comércio e serviços.

Associação Tranças da Terra
O resgate de um antigo ofício, cultivando as tradições de seus antepassados.
Fone: 49 3521 3981
E-mail: trancasdaterra@terra.com.br
http://www.trancasdaterra.com.br

Joaçaba

Pólo econômico e político do meio-oeste catarinense, Joaçaba foi fundada em agosto de 1917.

Sua atividade econômica principal é a indústria, em especial o setor metal-mecânico, processamento de madeira e produtos alimentícios. O comércio também é bem desenvolvido, já que muitas cidades vizinhas têm no turismo a atividade econômica principal e Joaçaba está estrategicamente localizada no centro da região.

Joaçaba tem 24 mil habitantes com base das etnias italiana e alemã. Localizada no Meio-oeste, no vale do rio do Peixe, a 414km de Florianópolis e 522 m de altitude. As cidades próximas de Joaçaba são: Água Doce, Erval Velho, Lacerdópolis, Ouro, Herval D`Oeste, Luzerna, Catanduvas, Jaborá, Irani.

Joaçaba foi colonizada, a partir de 1900, por descendentes dos imigrantes italianos e alemães vindos do Rio Grande do Sul. A cidade pertenceu ao Paraná até 1916, quando suas terras foram definitivamente anexadas a Santa Catarina.

Tornou-se município em 1917. A cidade já teve a economia baseada na extração de madeira e no cultivo de erva-mate. Atualmente, com um grande e diversificado parque industrial, é considerada a maior cidade do meio-oeste e pólo econômico da região.

Joaçaba destaca-se principalmente pela infra-estrutura hoteleira e gastronômica.