Sombrio

A sombra das figueiras, que refrescava o descanso dos tropeiros, deu nome ao município, que conta com 23 km de balneários.

Sombrio foi fundada em dezembro de 1953, com colonização de portugueses, italianos e alemães, contando hoje com 23 mil habitantes.

Localizada no Extremo-Sul, na microrregião de Araranguá, Sombrio está a 244km de Florianópolis, 10 m de altitude, tem na aropecuária a sua base econômica.

Além de Araranguá, está nas proximidades de Santa Rosa do Sul, São João do Sul e Passo de Torres.

Por volta de 1723, os tropeiros que saíam de Laguna com destino a Viamão, no Rio Grande do Sul, buscavam descanso sob as imensas figueiras do litoral catarinense, ainda habitado pelos índios carijós. Na época, esse era o único caminho até Viamão e, apesar de muitos viajantes pararem à sombra das árvores para descansar – daí o nome da cidade –, somente em 1820 surgiu o vilarejo que deu origem a Sombrio.

O primeiro a se interessar pelas terras da região foi o historiador francês Saint-Hilaire, que estudou a origem dos primeiros habitantes de Araranguá. Pesquisou solo, fauna, flora e a cultura dos índios carijós. Sua expedição despertou a curiosidade de dois irmãos portugueses, os imigrantes Manoel e Luciano Rodrigues. Eles adquiriram sesmarias no lugar, mas a colonização só prosperou 10 anos depois, quando outro português, João José Guimarães, instalou-se definitivamente com a família às margens de um grande lago, a hoje denominada Lagoa Sombrio.
Após a Guerra do Paraguai, imigrantes alemães e italianos chegaram de outras localidades. Em abril de 1880, Sombrio passou a pertencer a Araranguá e, em 30 de dezembro de 1953, emancipou-se.

Atrativos Turísticos de Paulo Lopes

Praia da Gamboa

A Praia da Gamboa e a vizinha Guarda do Embaú, pertencente a Palhoça, oferecem belezas naturais e atraem surfistas de diversas partes do Brasil

Cachoeira do Delfo

Além destas praias, o município tem a Cachoeira do Delfo, que se transformou em balneário para a população local.


Paulo Lopes

A Praia da Gamboa e a Cachoeira do Delfo representam importante potencial turístico para o município.

Fundada em 21 de dezembro de 1961, Paulo Lopes tem na agricultura e na pesca sua base econômica.

Paulo Lopes tem próximos de 6 mil habitantes de origem principalmente açoriana, mas no verão sua população crece bastante em função da Praia da Gamboa.

Paulo Lopes está na Grande Florianópolis, a 50km da Capital, 2 m de altitude e nas vizinhanças de São José, Palhoça, Garopaba, Imbituba, Santo Amaro da Imperatriz, além de Florianópolis.

A chegada das famílias açorianas a Santa Catarina, no século XVIII, deu início à colonização da região de Paulo Lopes. A mão-de-obra utilizada na lavoura e nos engenhos de farinha de mandioca era a escrava. Na época da colonização, as terras foram divididas em sesmarias e, mais tarde, em latifúndios.

Coube ao município uma área de 447,1km2, onde existem hoje 32 propriedades com área entre 100 hectares e 500 hectares e seis com mais de 500 hectares. O nome da cidade é uma homenagem ao coronel da força militar portuguesa Paulo Lopes Falcão.

Restaurantes em Nova Veneza

Restaurante Germânia
Rua João Bortoluzzi, snº, centro
Fone: 48 3436 1224

Restaurante Ghelere
Estrada Geral, snº, São Pedro
Fone: 48 3436 1036

Restaurante Guarapari
Estrada Geral, snº, São Bento Baixo
Fone: 48 3436 1342


Restaurante Romagna
Estrada Geral, snº, São Pedro
Fone: 48 3436 1770

Restaurante il Caminho
Travessa Oswaldo Búrigo, 142, Centro
Fone: 48 3436 1018

Restaurante Itália
Rua Frei Frigolino, 94, Caravaggio
Fone: 48 3476 0121

Restaurante Veneza
Praça Humberto Bortoluzzi, 51, Centro
Fone: 48 3436 1168

Hotéis e Pousadas em Nova Veneza

Hotel Germânia
Rua João Bortoluzzi, snº, Centro
Fone: (48) 3436-1224

Hotel Veneza
Praça Humberto Bortoluzzi, 51, Centro
Fone: (48) 3436-1168

Ghellere Pousadas
Estrada Geral São Pedro, Siderópolis
Fone: (48) 3436-1036


Atrativos Turísticos de Nova Veneza

Museu do Imigrante, Monumento do Imigrante e Casa de Pedra

A Casa de Pedra, construída no início do Século XX, é a principal atração turística da cidade.

Capela e as estações da Via Crucis

Na saída da cidade para a zona rural. A primeira Estação da Via Crucis está junto à Igreja Matriz.


Eventos

Festa de São Marcos

Em abril.

Festa da Nossa Senhora do Caravaggio

A Festa de Nossa Senhora do Caravaggio é um dos mais importantes eventos do calendário, no último domingo de maio.

Nova Veneza

Nova Veneza foi fundada em 21 de junho de 1958, tem hoje pouco mais de 11 mil habitantes de base italiana.

Nova Veneza tem sua economia assentada na agricultura, embora o turismo já lhe dê expressão. Está localizada na região Sul, microrregião de Criciúma, a 215km de Florianópolis e 70 m de nível do mar.

Suas cidades vizinhas são: Siderópolis, Criciúma, Forquilhinha (onde tem um aeroporto), Içara e Cocal do Sul.

Os primeiros imigrantes italianos chegaram às terras de Nova Veneza em junho de 1891, trazidos pela empresa norte-americana Angelo Fiorita & Cia. Miguel Napoli, italiano original da Sicília, veio antes, em janeiro, e comandou a abertura de estradas, a demarcação das terras e a construção de uma serraria para receber os colonizadores, num total de 400 famílias.

Em outubro, chegaram mais 500 famílias de italianos, oriundas das regiões de Veneza e de Bergamo, e fundaram a Colônia Nova Veneza. Os colonos construíram casas com pedras encontradas na região e as edificações eram tão sólidas que muitas estão de pé até hoje.

Em 1991, durante as comemorações do centenário de colonização, os historiadores Zulmar e Newton Bortolotto, descendentes dos imigrantes, lançaram um livro com a História da cidade de Nova Veneza.

Atrativos Turísticos de Jaguaruna

Praias

Arroio Corrente, Camacho e Dunas do Sul. Também merecem ser visitadas as praias de Campo Bom, Nova Camboriú, Copa 70, Janaína, Torneiro, Esplanada e Figueirinha, algumas ainda não exploradas pelos turistas.

Lagoas

As lagoas de Garopaba, Figueirinha, da Encantada, do Campo Bom, Preta, de Jaguaruna e do Delfino, todas indicadas para o banho e para a pesca, completam o roteiro de opções aquáticas da cidade.

Chuveirão

Roda d’água construída na década de 1950 para gerar energia elétrica.


Sambaqui

São mais de 30 sítios arqueológicos, incluindo o de Garopaba do Sul, considerado o maior sambaqui do mundo em extensão. O sítio arqueológico tem uma área de 101.000m2, medindo cerca de 25 metros de profundidade, e equivale a 10ha.

Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores

Museu de Jaguaruna

Estação Ferroviária

Passeios turísticos ferroviários são realizados uma vez por mês

Ruínas da Casa da Nação

Barra do Camacho

De onde se pode ver até o Farol de Santa Marta, em Laguna.

Turismo Rural

Além de ter boa infra-estrutura turística nas praias, que possuem hotéis, áreas de acampamento e infra-estrutura adequada para receber os turistas, Jaguaruna também oferece turismo rural, com trilhas ecológicas, banho em lagoas, campings, pousadas e bons restaurantes.

Jaguaruna

Palco de esportes radicais como surfe de areia, as dunas de Jaguaruna movem-se ao sabor dos ventos.

Fundada em dezembro de 1930, tem sua base econômica diversificada entre Agricultura, com ênfase no plantio de arroz e de mandioca, além de pesca, turismo e pecuária.

Jaguaruna tem 14.000 moradores fixos e cerca de 150.000 habitantes no verão. Sua origem populacional é da etnia açoriana. Está localizada no Litoral sul de Santa Catarina, a 165km de Florianópolis. Suas cidades vizinhas principais são Tubarão e Criciúma.

O município de Jaguaruna começou a ser povoado a partir de 1867. O coronel Luiz Francisco Pereira, o primeiro morador, ganhou uma sesmaria na região sul da província de Santa Catarina e no mesmo ano transferiu-se para as novas terras. Por causa da presença de um tipo de onça preta existente na região, a cidade recebeu o nome de Jaguaruna (onça preta, em tupi-guarani). Os principais colonizadores foram os açorianos, que chegaram a partir de 1870.

Atrativos Turísticos em Jacinto Machado

Cânion da Fortaleza

No Parque dos Aparados da Serra. Maior cânion do Brasil, bastante visitado em sua parte superior através de Cambará do Sul (RS), tem seu interior localizado em Jacinto Machado, a cerca de 20km do centro, na localidade de Tigre Preto. Cascatas que formam piscinas naturais e uma floresta riquíssima são alguns dos atrativos do lugar.

Trilha da Serra da Pedra

Trata-se da chamada estrada dos conventos, antiga estrada que ligava Jacinto Machado a Cambará do Sul, região inicialmente habitada por índios xokleng. A Serra da Pedra é uma muralha natural com 1.000m de altura.

Gruta Nossa Senhora de Lourdes

CTG Recanto da Gávea


Jacinto Machado

A proximidade do Parque dos Aparados da Serra desperta o interesse dos turistas para as belezas naturais de Jacinto Machado, que está no Extremo sul de Santa Catarina, na microrregião de Araranguá, a 254km de Florianópolis.

Fundada em julho de 1958, Jacinto Machado baseia sua economia na Agropecuária. Para o turismo, conta com 2 hotéis num total de 27 apartamentos e 08 quartos.

Contando com uma população de 11 mil habitantes das etnias Italiana, Polonesa, Luso Brasileira e Açoriana, Jacinto Machado está a 28 m de altitude, no sopé da região dos Cânions, tendo verão quente e temperatura média anual de 19,1°C.

Suas cidades vizinhas são: Ermo, Turvo, Sombrio, Santa Rosa do Sul e Praia Grande.

Todo o território de Jacinto Machado pertencia antigamente a quatro latifundiários: os gaúchos João da Silva Córdova e Antônio Bernardo Boeira, o catarinense Martinho Ghizzo e o alemão João Hebbe, que moravam em Araranguá.

A distância entre o local onde moravam os proprietários e suas terras levou alguns imigrantes italianos a tomarem posse da área, entre 1921 e 1931, liderados por João Eugênio Tuon.

A posse não foi tanqüila nem mesmo pacífica. Muita luta ocorreu entre os proprietários e os imigrantes. Finalizada a luta, os imigrantes ficaram com as terras que hoje formam o município de Jacinto Machado.

As técnicas agrícolas trazidas pelos imigrantes italianos mudaram o perfil do lugar. Fumo, arroz, feijão e milho, além da banana, são as principais culturas. Também se destaca a criação de suínos e de gado. Há ainda uma boa produção de hortifrutigranjeiros.

Os imigrantes italianos desenvolveram a agricultura, com destaque para o cultivo da banana, responsável durante muito tempo por 60% da receita do município. O nome da cidade, batizada inicialmente de Volta Grande, é uma homenagem ao brigadeiro Jacinto Machado Bittencourt, que lutou na Guerra do Paraguai.

Comércio e Serviços em Imaruí

Baiense Corretora de Imóveis

Fone: 48 3643 0316
E-mail: baienseimoveis@hotmail.com
http://www.baienseimoveis.com.br


Atrativos Turísticos de Imaruí

Imaruí conta com hotel e pousadas em quantidade satisfatórias, oferecendo conforto e ótimo atendimento. A cidade também conta com boa rede de gastronomia, de comércio e de serviços.

Culturais

Cultura açoriana, presente nas brincadeiras da Ratoeira, Ternos de Reis, Pau de Fitas, Quadrilhas e Boi-de-Mamão. No Interior, encontram-se contadores de causos, que refletem a religiosidade através das crenças e mitos como o do lobisomem, o da mula-sem-cabeça e o do boitatá.

Lagoa de Imaruí

Ótimas condições para a prática de: pesca artesanal, passeios de barco, lanchas, jet ski e caiaque.

Igreja Matriz São João Batista

cartão postal da cidade.


Eventos

Festa Religiosa do Senhor Jesus dos Passos

Mais de 40.000 devotos, em março.

Festa de São João Batista

Padroeiro da cidade, com queima de fogos e festejos, em junho.

Festa de Emancipação

Emancipação da cidade com atrações variadas, motocross, festa náutica e shows. Em agosto

Imaruí

A influência da colonização açoriana se faz presente no dia-a-dia da cidade de Imaruí, tanto na arquitetura como nas festas e manifestações religiosas.
Fundada por Açorianos em setembro de 1890, Imaruí tem na pesca sua principal fonte de economia, seguida da agricultura, onde se destaca o arroz a farinha de mandioca. A cidade também está investindo no turismo rural, tendo ótimas pousadas.

Imaruí tem 13 mil habitantes, está na região Sul do estado, na microrregião de Tubarão, a 22km de Imbituba e a 128km de Florianópolis.

Suas cidades vizinhas são Imbituba, Laguna, Capivari de Baixo, Tubarão, Gravatal, Paulo Lopes, Armazém e São Martinho.

Contam os historiadores que a primeira colonização da região onde hoje está Imaruí ocorreu antes de 1800 e foi realizada por um grupo de pescadores oriundos de Laguna. Em 1833, foi criada a Freguesia de São João Batista do Imaruí, que se tornou distrito de Laguna.

Um dos colonizadores foi o gaúcho João Vieira da Rocha, que acompanhou os farrapos até Laguna e que mais tarde mudou-se para Imaruí em companhia dos filhos. A guerra que se seguiu à instalação da República Juliana, onde ocorreu o trágico episódio da conhecido como o massacre de Imaruí fez com que muitas famílias deixassem Laguna para morar em Imaruí, por volta de 1839.

Imaruí passou à categoria de município em 27 de agosto de 1890, e o nome foi dado por uma tribo de índios que habitava o local: vem do mosquito maruim, comum na região.

Hotéis e Pousadas em Içara

Parque Verde

Fone: 48-3467-0091
E-mail: hzuleide@terra.com.br
http://www.parqueverde.com.br