Hotéis e Pousadas em São José do Norte

Pousada Bozano

Fone: 053-99475241 ou 053-99770336
E-mail: michele_collares@yahoo.com.br

Pousada Nossa Senhora da Paz

Fone: 53 3238 1143
E-mail: pousadapaz@yahoo.com


Atrativos Turísticos de São José do Norte

Conheça também o Parque Nacional da Lagoa do Peixe

Igreja Matriz de São José

Sua construção iniciou-se em 1840 e foi concluída em 1860. Na Praça Intendente Francisco José Pereira.
Fone 53 3238 1773.

Centro Histórico

Entre diversos prédios históricos destacam-se o Solar do Imperador, Prédio do Museu, Igreja Matriz e Casa Primo.

Molhes Leste

Distante 14 km da sede. Refúgio de lobos e leões marinhos, local para pesca com vara e prática de surf.
Fone 53 3238 1773.


Caminho Farroupilha

A Costa Doce, uma das mais belas regiões do Rio Grande do Sul, constituída por um complexo lagunar que inclui o Lago Guaíba, o Rio Camaquã, o Canal São Gonçalo e as Lagoas dos Patos, Mirim e Mangueira, foi cenário do principal acontecimento político-militar do Rio Grande do Sul, no século XIX, a Revolução Farroupilha (1835-1845).

Prédios e sítios em Guaíba, Camaquã, São Lourenço, Cristal, Piratini, Pelotas, Rio Grande e José do Norte são testemunhas da riqueza gerada pela indústria do charque, motivo básico do conflito, e de episódios dos combates entre farroupilhas e os soldados do Império do Brasil. Figuras como Bento Gonçalves, Gomes Jardim, Domingos José de Almeida, Corte Real, Onofre Pires, David Canabarro, General Netto, Giuseppe e Anita Garibaldi, Joaquim Teixeira Nunes e seus Lanceiros Negros, John Griggs, Caxias e Grenfell estão presentes na cultura e na memória.

O Caminho Farroupilha mostra os locais onde começou a Revolução Farroupilha, os homens e mulheres que nela se envolveram, os fatores econômicos e políticos que alimentaram o conflito e o legado de uma década de lutas que contribuiu para a formação do Rio Grande do Sul contemporâneo. Nesta região está o começo e o fim. A invasão de Porto Alegre. A morte de Bento Gonçalves. O roteiro apresenta as estâncias dos líderes farroupilhas, destaca o papel de suas mulheres no movimento, as roupas da época e as lides campeiras.

As charqueadas são símbolos de riqueza e poder de um período que lança os fundamentos da economia e da política rio-grandense. Os antigos sobrados e palacetes, uma arquitetura austera e forte, ainda guardam os passos de políticos e guerreiros que construíram uma identidade para o sul do Brasil. Informações nas prefeituras dos municípios envolvidos: Guaíba, Camaquã, Cristal, São Lourenço do Sul, Pelotas, Piratini, Rio Grande e São José do Norte.

Museu Instituto Histórico Geográfico

História do município, objetos pessoais, armas, fotografias, objetos indígenas e objetos dos primeiros colonizadores do município.
Na Rua General Osório, 127. Fone 53 3238 1502.

Caminhos da Fé

Uma viagem inspirada pela fé. Diferente de uma simples excursão, quem trilha este caminho, tem como objetivo ir em busca de harmonia, paz espiritual, equilíbrio interior e elevar o pensamento a Deus.

É a oportunidade de conhecer monumentos erguidos pela fé religiosa. Uma ocasião especial para despertar em si, a esperança, a caridade e a espiritualidade que o momento proporciona.

Informações junto à Secretaria de Turismo
Fone 53 3238 1129
E-mail: sjn_turismo@supersul.com.br

Praia do Mar Grosso

Situada no Molhe leste local. Apropriada para pesca, lazer e surf.

Caminho Farroupilha, Cultura, e Tradição Gaúcha

A Costa Doce e o Pampa Gaúcho, duas das mais belas regiões do Rio Grande do Sul, foram cenários do principal acontecimento político-militar do Sul do Brasil, no século XIX, a Revolução Farroupilha (1835-1845). Reunindo cultura, belas paisagens e diversão, a Costa Doce e o Pampa Gaúcho oferecem um passeio único com seus visitantes: um roteiro integrado que fará o visitante se emocionar pela saga farroupilha.

No roteiro as estâncias, museus e charqueadas abrem as portas para receber os turistas, oferecendo passeios temáticos, a vivência nas lidas campeiras e, principalmente, o acesso à informação de dados sobre a história do Rio Grande do Sul.

Municípios envolvidos: Alegrete, Bagé, Caçapava do Sul, Camaquã, Guaíba, Pelotas, Piratini, Rio Grande, Rosário do Sul, Santana do Livramento,São Gabriel, São José do Norte e São Lourenço do Sul.
Informações: www.portalcostadoce.com.br ou Fone 51 3251 5979.

Parque Nacional da Lagoa do Peixe

Parque Nacional Lagoa do Peixe

O parque não dispõe de infra-estrutura ideal para receber turistas. A visitação ocorre, principalmente, por estudiosos e observadores de aves. É possível visualizar a baleia Franca, entre os meses de julho e outubro, migrando para Santa Catarina.

Não é permitido acampar na área do parque. Está localizado nos municípios de Tavares (80%), Mostardas (17%) e São José do Norte (3%).

Foi criado com o objetivo de proteger ecossistemas litorâneos e espécies de aves migratórias que dependem da Unidade para o seu ciclo vital, como também para fins científicos, culturais e recreativos.


O perímetro do Parque é de 160 km. Apresenta vasta planície arenosa, resultante das extensas e numerosas restingas que barram as lagoas costeiras. A cobertura vegetal é campestre e o Parque ainda apresenta dunas, banhados salgados e dunas marítimas. Bioma: campos sulinos.

O Parque Nacional da Lagoa do Peixe é um dos principais refúgios das aves migratórias limícolas na América do Sul e o único Parque do país onde há grande possibilidade de se observar flamingos o ano inteiro, com picos de concentração nos meses de inverno.

Apesar da denominação, a Lagoa do Peixe é, na verdade uma laguna, por causa da comunicação com o mar. Trata-se de uma laguna relativamente rasa, com 60 centímetros de profundidade em média. Somente na barra, onde encontra a água do mar, a profundidade pode chega a dois metros.

A mistura de água doce e salgada, aliada a ventos intensos, permite a concentração de nutrientes, consumidos por uma variedade de pequenos organismos que são a base da cadeia alimentar. As características do local e a fonte de alimento permitem a sobrevivência de uma fauna variada. Além do camarão, há uma variedade de vermes, peixes, caranguejos e moluscos, que garantem a alimentação das aves migratórias e residentes.

A visitação é gratuita, mas não possui guia. Neste caso, o IBAMA sugere a contratação de profissionais de agências do município.

Há duas vias principais de acesso, sendo que em alguns pontos é necessário carro adaptado. A época que compreende de setembro a janeiro é considerada boa devido ao clima, mas no inverno pode-se encontrar mais mamíferos e cetáceos, por exemplo.

Há algumas restrições em épocas chuvosas, com limitações severas ou causa do vento forte e frio.
O IBAMA recomenda que o escritório seja procurado antes do passeio, ou para agendamento prévio ou antes da visitação, onde os turistas receberão as devidas recomendações.

Dicas Importantes!

Binóculos são úteis para observar e máquina fotográfica para registrar as inúmeras espécies de aves. Somente imagens é o que Você levará do Parque!
Não há filmes à venda no Parque.
Entre setembro e março torna-se mais freqüente a presença de mosquitos na região, por isso leve repelente.
O sol forte exige chapéu e protetor solar permanente.
Para as trilhas, carregue a mochila com alimentos leves: frutas, barras de cereais e sanduíches naturais são recomendáveis.
As longas caminhadas sob o sol e ventos insistentes exigem hidratação constante. Leve uma garrafa de água para não ter problemas.
Calçados confortáveis, como pares de tênis usados, são indicados para percorrer as trilhas e caminhar nas margens da lagoa.
No inverno, o vento sul provoca fortes ressacas, o que exige do motorista atenção redobrada nos caminhos próximos às praias.
Nada se leva de um Parque: animais, plantas, rochas, frutos, sementes e conchas encontrados no local fazem parte do ambiente nativo. Somente Imagens são permitidas saírem do Parque. Mais que proibição isto é consciência!
Caçar, pescar e molestar animais silvestres são crimes previstos em lei. Os animais também precisam buscar seu próprio alimento para manter seu ciclo de vida natural.
Entrar no Parque com animais domésticos pode causar problemas, como a introdução de doenças e ameaças ao ambiente natural.
Todo lixo deve ser coletado e depositado em locais apropriados.
As áreas de visitação pública são restritas.

Área: 36.753,00 ha.

Visitação diariamente das 7h30min às 18h.

Como chegar saindo de Porto Alegre:
RS040 até entroncamento com RS776 para Palmares do Sul
RS776 até entroncamento com BR101 para Mostardas
BR101 até Tavares

Indo de ônibus:
Até Tavares (Expresso Palmares). Até a beira da lagoa não existe transporte público. É preciso contratar uma agência ou fazer o percurso a pé, através de duas trilhas (do Talhamar e da Figueira), com mais de 10km cada. Pela Trilha da Figueira deve-se passar o município de Tavares e entrar à esquerda no 2º trevo. Seguir reto até a Barra da Lagoa.

Ou ainda:
BR101 – liga Palmares do Sul a Mostardas
BR101 – liga São José do Norte a Tavares

Informações fone: 51 3673 1464 ou 9962 7030
Praça Prefeito Luiz Martins, 30. Mostardas, RS,
E-mail: lagoadopeixe@terra.com.br, Responsável: Luísa Juliana Silveira Lopes.

Atrativos Turísticos de Tavares

Conheça o Parque Nacional Lagoa do Peixe

Farol Capão da Marca

Localizado na orla da Lagoa dos Patos, foi construído em 1849 e é constituído de uma torre tubular de ferro pintada de branco. Tem 19m de altura e emite uma luz encarnada com alcance de 13 milhas náuticas. Está cercada de 40m de praia, aproximadamente.


Farol de Tavares

Mais conhecido como Farol de Mostardas, hoje, após a emancipação do município de Tavares, passou a pertencer ao povo dessa localidade. É o maior do litoral norte com 38m de altura e com alcance de 40 milhas mar dentro, emite um facho em cores branca e vermelha, em um intervalo de 40 segundos. Em preto e branco, é imponente e fica na praia do Farol, perto da Lagoa do Peixe.

Laguna dos Patos

Situada a 10 km da sede. Possui águas limpas e tranqüilas, propícias ao banho e à prática de esportes.

Rota Litoral Norte Gaúcho

Os atrativos abrangem o ecoturismo e o turismo de aventura, com o treking e o rapel na Serra geral, incluindo trilhas e cachoeiras na Mata Atlântica, além de sol e mar na faixa litorânea, esportes náuticos e observação de aves na Lagoa do Peixe.

Não deixe de ver:
– o processo de fabricação da rapadura, da cachaça e dos cobertores de lã, da mesma forma como eram fabricados no século passado, além da gastronomia que valoriza o pescado, passando pelo tradicional churrasco gaúcho e também a cachaça e a rapadura;
– o cordão lagunar com mais de 40 lagoas, muitas delas interligadas e pertencentes a rota de aves migratórias e o parque das dunas paralelas à faixa litorânea.

Municípios participantes: Arroio do Sal, Balneário Pinhal, Capão da Canoa, Capivari do Sul, Caraá, Cidreira, Dom Pedro de Alcântara, Imbé, Itati, Mampituba, Maquiné, Morrinhos do Sul, Mostardas, Osório, Palmares do Sul, Santo Antônio da Patrulha, Tavares, Terra de Areia, Torres, Tramandaí, Três Cachoeiras, Três Forquilhas e Xangri-lá.

Informações na Associação dos Municípios do Litoral Norte
Fone: 51 3663 2300
Email: amlinorteturismo@terra.com.br

Tavares

Tavares está situada na península que separa as águas do Oceano das águas da Lagoa dos Patos (ou Laguna).

Tavares tem uma população de menos de 6 mil habitantes, altitude de 15 m e está a 217 Km de Porto Alegre pela BR 101.

Tavares teve início de sua povoação com a chegada do Brigadeiro José da Silva Paes, em 1737, quando fundou o Forte Jesus Maria José no lado sul da Barra do Canal do Rio Grande. Sua origem, por volta de 1760, está na colonização dos casais de açorianos, que dedicaram-se ao cultivo de trigo e centeio, assim como à caça e pesca.

Localizado na orla da Laguna dos Patos, o município de Tavares apresenta faróis de auxílio à navegação, lagos e capões, espécies de pequenas matas geralmente nas recostas, como atrativos naturais.