Agências de Turismo em Uruguaiana

Beth Valls-guia de trilhas e passeios

Fone: 34125257
E-mail: vallsmoraes@uol.com.br
http://www.bethvalls.com.br


Hotéis e Pousadas em Uruguaiana

River Hotel
Rua 7 de Setembro, 1088
Localiza-se próximo ao terminal aduaneiro, fronteira Brasil e Argentina
Reservas 0800 644 8222
Fone: 55 3412 3404
E-mail: river@bnet.com.br
http://www.riverhotel.com.br

Atrativos Turísticos de Uruguaiana

Granja do Galo

Galpão com fogo de chão, trilha ecológica, passeio de charrete, local para banho, quadras de esportes e churrasqueiras. É possível a participação na lida campeira. Aceita reservas individual e grupo
Na rodovia BR 290 km 715, Fones 55 3505 3533 e 9958 7779.

Parque Dom Pedro II

Também conhecido como “Parcão”, está situado no centro da cidade, Av. Presidente Vargas, esquina com Flores da Cunha. Possui duas quadras de futebol sete, uma quadra de futebol de salão, duas quadras polivalentes, uma pista de patinação, duas quadras de vôlei de areia, pracinha, pista de corrida, um centro de informações turísticas, banheiros e sede da administração. É o local que mais atrai eventos da cidade.

Obelisco

Homenagem ao local onde Dom Pedro II, recebeu a espada do Coronel Estigarribia, quando os Paraguaios uniram-se as tropas da triplice aliança ( Uruguai, Brasil e Argentina ), em 1835. aqui, também foi assinado o tratado de amizade com a Grã-Bretanha, firmado por Dom Pedro II e o ministro.


Coxilha dos Loucos

A Coxilia dos Loucos era a lombada onde está situada a Praça Gal. Osório,ou Praça Hidráulica do Colégio do Horto.No fim do século passado existia um fazendeiro, proprietário das terras que do Imbaá vinham confinar com a cidade, cuja as ultimas casas iam somente até a rua Andradas. Êste senhor, do qual não declinamos o nome, possuia cinco filhos que passavam o dia na estância do pai e a noite encilhavam seus cavalos e vinham áquele arrebalde de Uruguaiana, onde se localizavam algumas casas de tolerância, cometer toda a sorte de tropelias e arbitrariedades.Filhos que eram de pais dealto conceito na sociedade da época e frivolos e desmiolados, êstes rapazes todas as noites tumultuavam aquela zona a tal ponto que o povo os tinha por loucos e a coxilia aonde costumavam praticar as suas tropelias adiquiriu o nome de coxilia dos loucos.

Colégio União

Fundado pelo francês Aleixo Vourlod, e uma das escolas mais antigas da cidade. Serviu de enfermaria durante a guerra do Paraguai.

Casarão dos Barbaras

Belíssima residência construída em 1913, por Miguel Barbara, comerciante imigrante da Argentina, que instalou-se nesta cidade. O material da construção foi todo importado, sendo o mármore de carraro oriundo da Itália e vidros da França.

Tênis Club Rio Branco

Fundado com intuito de desenvolver o “esporte branco” , sua fundadora, a senhora Bela Guimarães, realizou o feito em 12 de Outubro de 1913, na qual trouxe a novidade da Europa, ganhando força rapidamente.

Praça Tamandaré

Localizada na Rua Vasco Alves, ao lado do Tênis Club Rio Branco, possui o busto, em bronze, do almirante Tamandaré (Joaquim Marques de Lisboa), que foi conselheiro de guerra do imperador Dom Pedro II. assistiu a reunião da vila de Uruguaiana, ao lado do imperador, como comandante chefe da força naval do Brasil no Rio do Prata.

Igreja Nossa Senhora do Carmo

Fundada em 8/5/1928, pela ordem dos carmelitas descalços.Possui estilo gótico. a estátua de Nossa Senhora do Carmo, foi esculpida em madeira pau Brasil em Portugal, pelo escultor José Ferreira Thedin, e veio para Uruguaiana de navio pelo Uruguai.

Ponte Internacional Agustin Justo – Getúlio Vargas

Liga Uruguaiana (Brasil) a Paso de Los Libres ( Argentina ). Foi a primeira ponte construída entre Brasil e Argentina e a maior da América do Sul na década de 40. Um sonho de um grupo de comerciantes brasileiros e argentinos, que tornou-se realidade com o lançamento da pedra fundamental com os presidente Getúlio Vargas e Augustin Justo, afim de facilitar o comercio já existente. Foi acordado que a construção da ponte seria dividida em duas partes iguais, ficando sob a responsabilidade de cada país a construção de sua parte, mas sendo o ferro utilizado, brasileiro e o cimento argentino. Essa foi uma demonstração da integração dos dois países. além disso, seria Rodo-ferroviaria, com duas alamedas para pedestres. Em 21 de maio de 1947, a Ponte Internacional Augustin Justo – Getúlio Vargas, foi inaugurada pelos presidentes Juan Domingo Peron e Eurico Gaspar Dutra ( Brasil ), contando com presença da primeira dama da Argentina, Evita Peron. a ponte mede 1,419 metros, e fez dessa cidade, o maior porto seco do país, passando por ela, uma media de 10 mil caminhões por mês.

Clube Comercial

Fundado pelo comerciante Luiz Betinelli, em 13 de Agosto de 1893. O prédio e uma réplica da Biblioteca Pública de Varsóvia. Os espelhos, do salão de espelhos, são todos franceses, bem como suas luminárias.

Prefeitura Municipal

Estilo neo-romano, inaugurado na gestão do primeiro intendente Gabriel Portugal. A pedra fundamental foi lançada em 13 de maio de 1889.

Praça Barão do Rio Branco

Nome dado em homenagem ao grande diplomata que conquistou importantes áreas territoriais que haviam sido tomadas do país. Lá estão.

Carta de Getúlio Vargas

Em bronze, esta a carta testamento do presidente do Brasil. poema “Duas Almas” , de Alceu Wamosy – Filho de Uruguaiana destacou-se entre os mais ilustres poetas brasileiros.

Monumento a Califórnia da Canção

A calhandra e o troféu oferecido aos vencedores da califórnia da canção nativa, maior festival de música nativista do RGS, realizado a 28 anos em Uruguaiana. Está na praça, um monumento a este evento, oferecido pelo grupo RBS.

Monumento às Mães

Estátua esculpida por Acario Carvalho, onde mostra a mãe com seu filho nos braços. doação do Rotary Uruguaiana.

Catedral de Santana

Fundada em 24 de maio de 1946, possui em seu interior, belíssimas obras de artes, entre elas a imagem de Santana, Padroeira da Cidade, em estilo neoclássico. há também uma cripta, onde estão enterrados os bispos Dom Felipe de Nadal e Dom Hermeto.

Centro Cultural Dr. Pedro Marini

O prédio pertencia a família de Baldomiro Barbara, que foi construído em 1913. Em 1930, foi vendido para o exército brasileiro, mas hoje, através de um comodato (exército e prefeitura municipal), funciona o centro cultural, com seus museus, bibliotecas e oficinas de arte. Construído com material importado da Itália, tem o privilegio de ter no seu interior, o primeiro elevador e primeira calefação interna da cidade.

Castelo

Residência de propriedade do Dr. Jorge Pouey de Oliveira. Réplica dos castelos Europeus, misturando o estilo tudor, normando e renascença. Projeto elaborado por um arquiteto da escola de Ouro Preto, em Minas Gerais. A construção iniciou em 1955 e demorou cerca de 3 anos para sua conclusão. Ela foi uma grande manifestação de amor, que o Dr. Jorge sentia pela sua esposa.

Sinuelo do Pago

Centro de tradições gaúchas (CTG), localizado na Coxilha da Tríplice Aliança, hoje bairro Santo Inácio. Lá, as tropas de Dom Pedro II, permaneceram acampadas durante a guerra do Paraguai e foi assinado o tratado, onde o Brasil e a Grã-Bretanha, reatavam os laços de amizade.

A Velha Destilaria

A primeira destilaria de petróleo do Brasil foi estabelecida em Uruguaiana, em 1936. Chamava-se Destilaria Rio-Grandense de Petróleo, tronco do complexo industrial Ipiranga. no terreno, atualmente estão instalados reservatórios de combustíveis.

Monumento ao Gaúcho

O monumento ao gaúcho, atualmente localizado no largo da estação rodoviária, foi oficialmente dado ao público no dia 10 de setembro de 1968. Coube ao Sr. Batista Luzardo descerrá-lo. Trata-se de estátua que busca retratar o gaúcho anônimo. a indumentária procura ser a mais comum da primeira metade do século passado, quando ocorreu a revolução farroupilha.

Casa do Barão do Ijuí

Prédio localizado na rua Duque de Caxias, 1263. residência do General Bento Martins de Menezes, participante da guerra do Paraguai.

Hermas dos Poetas

Na praça Barão do Rio Branco. Hermas dos poetas Alceu Wamosy e João Gonçalves Viana Filho(cf. “Uruguaiana, Gente e Terra” neste opúsculo).

Monumento a Domingos de Almeida

Domingos José de Almeida – Farroupilha e fundador de Uruguaiana. O monumento localiza-se na Praça Farroupilha, na entrada principal da cidade.

Barragem Sanchuri

A trinta quilômetros da sede do município, localiza-se no distrito de São Marcos. A Barragem Sanchuri é fonte para irrigação de grandes lavouras arrozeiras. Chega-se a ela pela BR 472, trecho Uruguaiana-Itaqui. Nas águas e margens da barragem desenvolvem-se vários esportes de verão, e conta com infraestrutura para repouso e acampamento.

Praia Formosa

No distrito de São Marcos, a cerca de cinqüenta quilômetros de Uruguaiana, é o melhor balneário fluvial com que conta a população. Areias claras, águas limpas, sombra de mato, espaço para barracas, bares e toda infraestrutura necessária.

Pouso de Dom Pedro

Segundo a tradição oral, no terreno do colégio Santana (Irmãos Maristas) existe a construção que serviu de pouso ao imperador, durante a estada que fez em Uruguaiana, por ocasião da rendição.

Uruguaiana

Uruguaiana tem 134 mil habitantes, 74 m de altitude e 641 Km de Porto Alegre.

A fundação de Uruguaiana deu-se em 24 de fevereiro de 1823, e a emancipação política e administrativa em 29 de maio de 1846.
O município nasceu sob a proteção da Bandeira Farroupilha, fundada pelo Ministro da Fazenda Riograndense, Domingos José de Almeida, julgando necessário a instalação de uma povoação à margem esquerda do Rio Uruguai, fronteira com a Argentina.

Pelo Decreto nº21 de 24/02/1823, foi criada uma capela denominada Capela do Uruguai. A nova freguesia, chamava-se no início Santana do Uruguai, porém pela lei provincial nº 58, de maio de 1946 foi elevada à categoria de vila, a qual passou a se chamar Uruguaiana.

Sua base econômica é a agricultura e a pecuária, com 80 mil hectares de arroz, e possui o maior rebanho de gado do Estado.

Atrativos Turísticos de São Gabriel

Museu Gaúcho da Feb

O Museu Gaúcho da força Expedicionária Brasileira está localizado na antiga estação férrea de São Gabriel e possui fotografias, armas, uniformes, condecorações, bandeiras, equipamentos de comunicação e outros objetos que foram utilizados pela FEB, na Itália, durante a II Guerra Mundial. Na Praça Carlos Antunes.

Prédio da Prefeitura Municipal

Inaugurado em 1922 tem o estilo arquitetônico neoclássico com influência positivista. O imóvel nunca sofreu alteração em sua estrutura. Está localizado na Rua Duque de Caxias.

Museu João Pedro Nunes

Acervo com objetos, fotos e documentos da história gaúcha, sacra, escravista e indígena, curiosidades e exército brasileiro.
Na Rua Barão de São Gabriel, 530, Centro.


Balneário do Pedroso

Área de lazer e infra-estrutura para camping, além de quadras de esporte, trilha para mountain bike e restaurante. Situado a 12 quilômetros da cidade, na RS 630. O balneário é banhado pelo rio Vacacaí.

Parque de Exposições Assis Brasil

Realização de feiras agropecuárias e rodeios.

Caminho Farroupilha, Cultura, e Tradição Gaúcha

A Costa Doce e o Pampa Gaúcho, duas das mais belas regiões do Rio Grande do Sul, foram cenários do principal acontecimento político-militar do Sul do Brasil, no século XIX, a Revolução Farroupilha (1835-1845). Reunindo cultura, belas paisagens e diversão, a Costa Doce e o Pampa Gaúcho oferecem um passeio único com seus visitantes: um roteiro integrado que fará o visitante se emocionar pela saga farroupilha.

No roteiro as estâncias, museus e charqueadas abrem as portas para receber os turistas, oferecendo passeios temáticos, a vivência nas lidas campeiras e, principalmente, o acesso à informação de dados sobre a história do Rio Grande do Sul.

Municípios envolvidos: Alegrete, Bagé, Caçapava do Sul, Camaquã, Guaíba, Pelotas, Piratini, Rio Grande, Rosário do Sul, Santana do Livramento,São Gabriel, São José do Norte e São Lourenço do Sul.

Informações: www.portalcostadoce.com.br ou Fone 51 3251 5979.

Rota Missões

Pelo Tratado de Tordesilhas, em 1494, era estabelecida a divisão do território sul-americano entre Portugal e Espanha. Toda a região de atuação da Província Jesuítica do Paraguai, atualmente Paraguai, Argentina, Uruguai e parte do Brasil, pertencia à coroa espanhola.

Nesta área foram organizados pelos jesuítas trinta povos que, por 150 anos, abrigaram mais de 100 mil guaranis numa sociedade altamente desenvolvida, tornando-se uma experiência única no mundo.

Em 1750, com o Tratado de Madrid, as reduções localizadas em território hoje brasileiro passam a pertencer à Portugal. Este fato desencadeou a Guerra Guaranítica, onde surge o lendário guerreiro guarani Sepé Tiaraju e seu brado heróico: …esta terra tem dono!
Somente circulando na região missioneira, visitando seus marcos, convivendo com sua gente, ouvindo suas histórias é possível sentir o que foi a grandiosidade do conjunto de fatos históricos que aconteceram nestas paisagens.

Municípios participantes: Bossoroca, Caibaté, Cerro Largo, Dezesseis de Novembro, Entre Ijuís, Eugênio de Castro, Giruá, Guarani das Missões, Mato Queimado, Pirapó, Porto Xavier, Rolador, Roque Gonzales, Salvador das Missões, Santo Ângelo, Santo Antônio da Missões, São Gabriel, São Luiz Gonzaga, São Miguel das Missões, São Nicolau, São Paulo das Missões, São Pedro do Butiá, Sete de Setembro, Ubiretama, Vitória das Missões.

Informações na Fundação dos Municípios das Missões
Fone 55 33134957
E-mail: funmissoes@via-rs.ne
Site: www.rotamissoes.com.br

São Gabriel

São Gabriel conta com uma população de 62 mil habitantes, 123 m de altitude e 321 Km de Porto Alegre.

A formação do povoado nas terras de São Pedro do Rio Grande começou a ser concebida nas discussões do Tratado de Madrid e Santo Ildefonso, celebrados entre os reis da Espanha e Portugal, para demarcar a posse das duas Coroas.

O povoado levaria o nome do anjo de devoção do vice-rei do rio da Prata, Dom Gabriel de Avilez y Del Fierro, denominado São Gabriel do Batovi. Sua fundação deu-se em 1846 e uma Lei Provincial eleva São Gabriel à condição de sede de município, com uma Câmara de Vereadores.

São Gabriel é conhecida também como a Terra dos Marechais: João Propício Mena Barreto, Fábio Patrício de Azambuja; do Presidente da República Hermes da Fonseca e Mascarenhas de Moraes. Terra de José Plácido de Castro, desbravador do estado do Acre, do romancista Alcides Maya e do Padre Leonel Franca, fundador da PUC do Rio de Janeiro.

O município possui duas estações bem definidas: o inverno e o verão. A temperatura média é de 17 graus e no verão o calor chega próximo aos 37 graus, devido a característica aplainada dos campos, que absorvem por igual a insolação. No inverno as geadas ocorrem numa média de 15 vezes por ano.

As bacias hidrográficas do Jacuí e o Ibicuí constituem o sistema hídrico do município. O rio Vacacaí possui um traçado aproximado norte-sul, curvando-se para nordeste até desembocar no rio Jacuí. Os outros rios são o Santa Maria e o Jaguari nas fronteiras do município. O divisor de águas fica localizado no Distrito de Tiarajú, bem na linha do Monumento a Batalha do Caiboaté.

São Gabriel possui três barragens a VAC 4, VAC 6 e VAC 7, que compõem o sistema irrigatório do rio Vacacaí. O sistema, construído em 1993, faz parte de um sistema de irrigação. A estiagem sempre trouxe problemas para os agricultores e para a população, que sofria com racionamentos e enchentes. As barragens hoje servem para a irrigação de lavouras e disciplinam o nível do rio.

Atrativos Turísticos de São Borja

Cemitério Jardim da Paz

Local onde estão sepultados os três mais eminentes filhos de São Borja e ex-presidentes da República: Getúlio Vargas, João Goulart e ainda o ex governador Leonel Brizola. Lá também estão os restos mortais do Barão de São Lucas e do Republicano Abolicionista Apparício Mariense da Silva. Localiza-se no bairro Florêncio Aquino Guimarães.

Cemitério Velho

Também chamado de “Cemitério das Crianças” e “Cemitério Paraguaio”, localiza-se no bairro do Passo, um dos mais antigos de São Borja.


Cruz de Lorena

A cruz de barra dupla, ou Cruz de Lorena, conhecida no cristianismo, era símbolo de Jerusalém. O patriarca a oferecia em adoração e consolo do povo durante a quaresma. Devia assim proteger a comunidade contra tempestades, granizo e tormentas, também relacionada com a arte de curar. Seu nome se deu em homenagem a Godofredo de Boiullon, Duque de Lorena.

O padre Ignácio Loyola, fundador da Companhia de Jesus, adotou a cruz como símbolo das Reduções Jesuíticas, e os padres Luiz e Manoel Bertod, fundadores de São Tomé, encarregaram-se de trazê-la para as Missões em 1632.

A Cruz de Lorena de São Borja localiza-se no trevo de acesso à cidade de Itaqui, recebendo visitação em horário permanente.

Túmulo de Maria do Carmo

Santa profana, Maria do Carmo era uma prostituta conhecida na comunidade, com um belo físico e bom coração, mas dada à bebida. Teria sido morta durante a Guerra do Paraguai, pelo último dos seus amantes, um militar graduado.

Com o tempo, espalhou-se a fama de santidade. Mulheres, especialmente, procuravam a sua sepultura e, em troca de promessas feitas e graças alcançadas, deixavam aos pés de sua sepultura garrafas de cachaça e maços de cigarros. Muitos anos após, já solidificada na tradição popular a sua fama de santa, foi construído, pelo Coronel Serafim Vargas, um túmulo em alvenaria que recebe até hoje romarias de seus devotos e fiéis. Acesso pela Rua Arthur Oscar.

Estátua do Padroeiro

A estátua do padroeiro de São Borja, São Francisco de Borja, foi esculpida pelo irmão Brasanelli, em madeira de cedro retirada matas locais. Conforme August Saint Hilaire, o irmão Brasanelli teve grande cuidado com as medidas da figura, tendo que esculpi-la de joelhos para facilitar o deslocamento da imagem em dias de procissão.

A estátua localiza-se no trevo de acesso às cidades de Santiago e São Luiz Gonzaga, recebendo visitação permanente. Maiores informações pelo fone 55 3431 4455 r 279.
E-mail: smtel_sb@hotmail.com.br

Granja São Vicente

O local pertenceu ao ex-presidente João Belchior Marques Goulart.

Museu Municipal Apparício Silva Rillo

Conhecido como Museu Missioneiro, o prédio foi construído na década de 60, conta com amplo salão de exposições e redomas de vidro temperado para proteger as missioneiras de valor histórico atestado por estudiosos do período jesuítico. Imagens sacras tricentenárias, feitas por Índios Guaranis no tempo que São Borja, o primeiro dos Sete Povos a ser fundado, era uma das mais promissoras reduções jesuíticas.
Fone 55 3431 3839

Museu da Estância e Museu Ergológico

Na sede do Grupo Amador de Arte Os Angüeras está o Museu de Estância, um dos únicos museus ergológicos do Brasil.
Rua João Palmeira, s/nº.

Museu Getúlio Vargas

Na casa onde morou o Ex-Presidente do Brasil, está localizado um museu que contém objetos pessoais e históricos que lembram momentos importantes da trajetória política de Getúlio Vargas.
Na Avenida Presidente Vargas.

Mausoléu Getúlio Vargas

No meio da Praça XV de Novembro, no centro da cidade, está o Mausoléu projetado pelo arquiteto Oscar Niemayer. Esta obra foi inaugurada na passagem dos 50 anos do falecimento do grande estadista brasileiro.

Cais do Porto

Este Porto foi inaugurado no dia 09 de Dezembro de 1997. Distante 6 km da sede.

No lugar onde há o mais bonito pôr-do-sol da região, encontramos uma completa infra-estrutura com bares que servem o típico peixe frito. É um local moderno, situado junto ao antigo porto onde havia a travessia de balsas.
Fone 55 3431 4455
Site: www.saoborja.rs.gov.br

Ponte Internacional da Integração

Esta ponte liga São Borja a Santo Tomé, em Corrientes, na Argentina. É uma ponte com 1400 metros de extensão e uma das diferenças em relação a outras fronteiras, é que nesta foi criado o primeiro Centro Unificado de Fronteira da América Latina, onde todos os trâmites de liberação de cargas e de pessoas ocorrem no mesmo espaço físico.

Está também localizado neste espaço, o Centro de Informações Turísticas. Lá o turista recebe toda a atenção, informação e material que precisar.

Na BR 285 km 678.
Fone 55 3431 4455
E-mail: elizetedk@hotmail.com
Site: www.saoborja.rs.gov.br

São Borja

São Borja, ou ao Francisco de Borja, tem quase 67 mil habitantes, está a 99 m de altitude e a 594 Km de Porto Alegre, na fronteira com a Argentina a Oeste do Estado.

São Borja sob a invocação de São Francisco Borja, foi fundada pelo jesuíta espanhol Padre Francisco Garcia, no ano de 1682 e instalado efetivamente como povoado, com jurisdição própria, em 1690.

São Borja foi o primeiro dos Sete Povos Missioneiros a ser organizado após a primeira fase das Missões Orientais, que haviam sido derrocadas pela invasão dos bandeirantes que as destruíram totalmente.

Povoada por índios reduzido, sob jurísdição social dos jesuítas e tutela política da Espanha, São Borja passou ao domínio português no ano de 1801, através da conquista do Território das Missões por Borges do Canto, Gabriel de Almeida e Manoel de Santos Pedroso. Pela distribuição de sesmarias aos soldados e colonos portugueses, inicou-se então o povoado de maneira efetiva.

Administrativamente São Borja pertenceu a Rio Pardo, do qual foi desmembrada por Resolução Provincial de março de 1833, assinada pelo então governador da província Manoel Antônio Galvão. Essa Resolução dava validade à transferência do Alvará Imperial de outubro de 1817, o qual criava a Vila de São Luiz Gonzaga – não instalada na época por precariedade de meios.

Em Termo Municipal de 1834, foi instalada a Vila de São João, em 08 de maio de 1846, era então elevada à categoria de Paróquia sob a invocação, agora oficial, de São Francisco Borja. A Lei nº 185 de 22 de outubro de 1850, criava em São Borja sua primeira Comarca. Finalmente, em 21 de dezembro de 1887, era elevada à condição de cidade.

Vinícolas de Sant’Anna do Livramento

Viti-Vinicola Cordilheira Sant`Ana

Na Estrada de Palomas, s/n.
Fone 55 9973 2620
Site: www.cordilheirasdesantana.com.br
E-mail: adm@cordilheiradesantana.com.br

Pernod Ricard Brasil – Almadén

Na estrada Municipal Livramento Passo da Cruz, S/Nº, Vila Palomas.
Fone 55 3242 9000
Site: www.pernod-ricard.com.br
E-mail: almaden@terra.com.br


Atrativos Turísticos de Sant’Anna do Livramento

Casa de José Hernandez

Escritor do Poema El Gaúcho Martin Fierro.
Na rua Rivadávia Correa, esquina rua Uruguai.

Gare da Viação Férrea

Na Rua Tenente Benevolo, esquina Rua Juvêncio Lemos.

Casa do Poeta Santanense

Sarau poético musical.
Fone 55 3243 1370.

Parque Internacional

Na divisa do Brasil com o Uruguai, é símbolo de integração entre as duas cidades.


Museu de Arte Urcamp – Aspes

Acervo de arte predominantemente brasileiro, que pertenceu a Maluh de Ouro Preto, doado em 1978 à ASPES. A Coleção é formada por 150 unidades, entre quadros, esculturas, cerâmica, vasos e assemblage. Constam ainda objetos como condecorações, comendas, jogo de chá, coberta de mesa, fotos e porta-retratos.

Na pinacoteca há, entre outras, obras de Rodolfo Amoendo, Castagnetto, Di Cavalcanti, Osvaldo Goeldi, Lasar Segall, Portinari, Djanira e Tarsila do Amaral. Foram usadas técnicas como: óleo, técnica mista, acrílico, gravura, desenho, água-forte, têmpera, aquarela, serigrafia, xilogravura e guache.

Universidade da Região da Campanha. Campus de Sant`Anna do Livramento.
Rua Daltro Filho, 2557
Fone 55 3243 1080

Museu Municipal David Canabarro

Seu acervo abriga objetos, fotografias, documentos, mesas, livros, revistas, armas, revólveres, cédulas, moedas, lenços e objetos de uso pessoal de personagens da história da cidade, assim como também material indígena e arqueológico da região.
Rua dos Andradas, 660, 2º andar
Fone 55 3242 3505

Museu Folha Popular

Rua Irmão Lino de Azevedo, s/nº.
Fone 55 3242 1383.

Ibirapuitã

BR 293, a 10 km da sede. Zona de preservação ecológica.

Cerro De Palomas

A 20 km da cidade, entrando pela BR 158.

Piscina Santa Rita

Maior piscina da América do Sul.
Fone 55 3242 3760.

Parque Municipal Lago do Batuva

Na descida da Vila Planalto, distante 3km da sede.

Praça General Osório

Em frente à Prefeitura Municipal.

Clube Campestre

Primeiro Clube de Golf do Brasil, com construção no estilo inglês.

Turismo Campeiro

O CTG Presilha do Pago oferece aos visitantes a possiblidade de passar horas agradáveis acompanhado de tradicional café de chaleira, sucos, chimias, queijos, manteiga, bolo frito, pães, bolacha de campanha, mel puro entre outras iguarias caseiras.

Além de passeios a cavalo e de charrete, assistir às apresentações folclóricas como danças e canções, e também visita ao museu local. O CTG está situado na Estrada Robledo Braz, 2310 e para agendamento de no mínimo 15 pessoas os fones de contato são 55 3242 1147 e 9973 1149.

Caminho Farroupilha, Cultura, e Tradição Gaúcha

A Costa Doce e o Pampa Gaúcho, duas das mais belas regiões do Rio Grande do Sul, foram cenários do principal acontecimento político-militar do Sul do Brasil, no século XIX, a Revolução Farroupilha (1835-1845). Reunindo cultura, belas paisagens e diversão, a Costa Doce e o Pampa Gaúcho oferecem um passeio único com seus visitantes: um roteiro integrado que fará o visitante se emocionar pela saga farroupilha.

No roteiro as estâncias, museus e charqueadas abrem as portas para receber os turistas, oferecendo passeios temáticos, a vivência nas lidas campeiras e, principalmente, o acesso à informação de dados sobre a história do Rio Grande do Sul.

Municípios envolvidos: Alegrete, Bagé, Caçapava do Sul, Camaquã, Guaíba, Pelotas, Piratini, Rio Grande, Rosário do Sul, Santana do Livramento,São Gabriel, São José do Norte e São Lourenço do Sul.

Informações: www.portalcostadoce.com.br ou Fone 51 3251 5979.

Fazenda Santa Tereza

Localizada no Distrito de Ibirabuitã, oferece participação na lida campeira, passeio a cavalo, de charrete, galpão de fogo de chão, trilha ecológica, pescaria, local para banho, quadra de esportes, churrasqueiras, camping, aceita animais domésticos e apresenta propostas pedagógicas. Serviços de bar e restaurante.

Aceita reservas individuais e grupos com agendamento através dos fones 55 3242 1972 e 9118 4444.

Área de Proteção Ambiental Ibirapuitã

Está localizada na região sudoeste do Rio Grande do Sul, nos municípios de Alegrete (15,22%), Quaraí (12,22%), Santana do Livramento (56,81%) e Rosário do Sul (15,75%) num perímetro de 260km. O clima da região é subtropical, com chuvas bem distribuídas e estações bem definidas. A temperatura média anual é de 18,6°C.

Foi criada com o objetivo de fomentar o turismo ecológico, a educação ambiental e a pesquisa científica, preservar a cultura e as tradições do gaúcho da fronteira, bem como proteger espécies ameaçadas de extinção em nível regional.

A APA é rica em atrativos tanto naturais quanto históricos:
– Em Alegrete destacam-se o Rio Ibirapuitã, a Lagoa do Parobé, o Balneário Caverá e a Ruína dos Cambraias.
– Em Quaraí, os principais atrativos são o Cerro de Tarumã e o Morro das Caveiras.
– Em Santana do Livramento, o Parque Municipal Lago do Batuva e os Marcos da Divisão de Fronteira entre Brasil e Argentina.
Bioma: Campos Sulinos.

Área: 317.117,00 ha.

Visitação: Não está aberto para visitação. A Área possui propriedades particulares e as pesquisas devem ser agendadas com os proprietários.

Não há ônibus para o local, somente sendo possível andar de carro para observar a paisagem. Deve-se ter cuidado na Área; em função do roubo de gado, os proprietários pedem que seja feito contato antes.

A Área está localizada a 20km da BR 290. Próximo ao trevo de Alegrete, na ponte do Caverá, a entrada é para o Sul, na estrada que vai para Catimbaú e Caverá.

Fones: 55 3426 3903 ou 55 3412 3357
E-mail: apabere@bnet.com.br
Responsável: Martin Toniolo.

Fazenda Palomas

Local possui açudes, rios, lagos para banho, alimentação completa, apresentação de campo e participação nas lidas, passeio a cavalo, pescaria, piscina, quadra de esportes, sala de estar com lareira, trilha ecológica. Nos aposentos tem ar condicionado, frigobare e televisão. Aceita visitante com animais domésticos.

Na BR 158 km 20, Rincão de Palomas
Fone 55 32422551 e 3505 6417 ou 9118 2640 e 9118 2641.
Site: www.fazendapalomas.com
E-mail: fpalomas@terra.com.br

Sant’Anna do Livramento

Sant`Anna do Livramento conta com quase 100 mil habitantes, importante cidade de fronteira, está a 210 m de altitude e a 489 Km de Porto Alegre.

A história de Santana do Livramento (como o nome é grafado hoje) se confunde com a dos índios Minuano e Charrua, que com a sua cultura e luta traçaram as primeiras fronteiras e formaram os primeiros primitivos.

A povoação iniciou com as doações de sesmarias feitas pelo Marquês de Alegrete. Em 30 de julho de 1823 o lugar passou a se chamar Nossa Senhora do Livramento, e em 1857, elevando a categoria de vila se desmembrou da cidade de Alegrete.

Santana do Livramento faz fronteira com Rivera (Uruguai) unidas por uma linha imaginária, dão uma demonstração ao mundo de que a paz é possível, por isso são conhecidas como “Fronteira da Paz” ou “La Mas Hermana de Todas Las Fronteras Del Mundo”.

Hotéis e Pousadas em Jaguarão

Pousada Mauá

Fone: 53 8416 8411
E-mail: pousadamaua@gmail.com


Atrativos Turísticos de Jaguarão

Igreja Matriz do Divino Espírito Santo

Templo católico construído em estilo barroco. A obra foi concluída em 1875.
Fone 53 3261 1978.

Matriz da Imaculada Conceição

Estilo gótico, foi concluída em 1909. Rua General Osório, 743.
Fone 53 3261 1495.

Mercado Público Municipal

Construído em 1867, em estilo barroco. Rua General Marques, s/nº.
Fone 53 3261 5100.


Rua das Portas

Rua XV de Novembro com casarões que datam do século passado com portas talhadas à mão.

Casa de Cultura

Praça Alcides Marques, 89.
Fone 53 3261 5100
E-mail: casa.cultura@casacultura.brtdata.com.br

Instituto Histórico e Geográfico

Museu para pesquisa. Rua Marechal Deodoro, s/nº.
Fone 53 3261 1075.

Ponte Internacional Mauá

Faz a ligação Brasil com o Uruguay, inaugurada em 30 de dezembro de 1930.

Ruínas da Enfermaria Militar

Localizada no Cerro da Pólvora, onde visualiza-se toda a cidade.
Fone 53 3261 5100.

Roteiro de Arquitetura

Visita orientada ao Centro Histórico do município que busca reconhecer e valorizar o precioso conjunto arquitetônico do sul do Brasil.

A arquitetura de Jaguarão reflete o apogeu econômico e cultural que se iniciou com atividade pastoril e comecial, integrou o ciclo charqueador, passou para a rizicultura e hoje desperta para o turismo cultural.

Num exercício de observação e descoberta, identifica-se a riqueza dos elementos decorativos e dos materiais e técnicas utilizados. São estruturas e detalhes sofisticados que revelam o poder econômico, e o toque pessoal e a habilidade dos antigos construtores. Símbolos materiais que conseguiram preservar sua capacidade de comunicação e representação para muito além de seu tempo. Um patrimônio considerado o mais homogêneo conjunto representativo da arquitetura do ecletismo no sul do Brasil.

Fone 53 3261 5100, Secretaria de Turismo e Cultura.

Museu Carlos Barbosa

Rua 15 de Novembro, 642.
Fone 53 3261 1746.

Rio Jaguarão

Localiza-se ao longo da Avenida 20 de Setembro, tendo área para shows em suas margens. Completamente navegável, divide Brasil e Uruguay.

Parque do Sindicato Rural

Avenida Bento Gonçalves, s/n. Grande área verde para festas tradicionalistas com galpões de exposições e infra-estrutura para campings e restaurante.

Jaguarão

Jaguarão – Fronteira Sul

Jaguarão está no sul do Rio Grande do Sul, região de fronteira com o Uruguay, 11 m de altitude e 380 km de Porto Alegre.

O nome Jaguarão significa Corpo de Leão Marinho com dentes, patas e garras de tigre – “Jagura- Ru”. A origem da povoação está ligada à instalação de um acampamento militar, às margens do Rio Jaguarão, em 1802.

Nesta época, os seus campos já eram ocupados por estancieiros para criação de gado. A cidade de Jaguarão sempre desempenhou funções estratégicas na política e na defesa da fronteira.

Durante a revolução Farroupilha, a vila desempenhou um papel importante, sendo a primeira Câmara a aderir ao novo governo.

Em 1930, foi inaugurada a ponte Internacional Barão de Mauá, consolidando a ligação Brasil-Uruguay.

Atrativos Turísticos do Chuí

Centro Comercial

Centro de compras caracterizado por produtos importados, na área de fronteira, também conhecido como Free shop. Fone 53 32651006.

Barra do Chuí

Barra do Arroio Chuí em seu encontro com as águas do Oceano Atlântico. Marco divisório do extremo sul do Brasil, região litorânea, que faz parte do termo “do Oiapoque ao Chuí”.