Imbituba

Além da exuberância do litoral, Imbituba tem porto, lagos, montanhas, baleias.

Fundada a 21 de junho de 1958, tem como etnia predominante a açoriana.

O porto de Imbituba é o segundo maior do Estado e representa uma das maiores fontes de emprego do município, que também depende da indústria, do comércio e do turismo.

Com 32 mil habitantes, está a 90 Km de Florianópolis pela BR 101 e nas proximidades de Garopaba, Laguna, Gravatal, Imaruí, Florianópolis.

Tem clima temperado e suas médias vão de 18ºC a 30ºC.

Imbituba nasceu por volta de 1720, quando pescadores e agricultores açorianos vindos de Laguna em busca de novos lugares para a pesca da baleia e para a agricultura se instalaram em seu território. Desenvolveu-se mais rapidamente a partir de 1912, quando passou a servir de escala para uma linha de navios de carga e passageiros que ligava o Rio de Janeiro a Porto Alegre, e com a ampliação do porto – o que favoreceu o comércio do carvão, muito explorado na época. Tornou-se independente em 1958.

Conhecida nacionalmente por seu porto, Imbituba também ficou célebre pela Praia do Rosa – que, segundo os surfistas, tem ondas que só perdem para as de Fernando de Noronha. Também ganhou fama por transformar-se, entre maio e novembro, em maternidade das baleias-francas, que vêm parir e amamentar seus filhotes em suas águas e ficam bem próximas da costa, oferecendo um verdadeiro show aos turistas. Vale conferir as festas do calendário turístico, em especial a Festa do Camarão e o Festival de Verão, em janeiro; a Semana do Município, em junho, e o Zimba Moto Praia, um encontro de motos que acontece em novembro.

As belezas naturais de Imbituba são responsáveis por uma verdadeira revolução a cada verão, quando a cidade é invadida por hordas de turistas que buscam suas praias, muitas ainda quase intocadas, além das lagoas, dunas, rios e ilhas. As praias da Vila, Praia do Rosa, Praia da Barra, de Ibiraquera e do Porto, com águas classificadas como cinco estrelas pelo órgão ambiental do Estado, são de beleza inconfundível.

A Praia de Itapirubá também ganhou fama por suas características de preservação ecológica. A Lagoa de Ibiraquera é um dos mais belos cenários da região e é famosa pela pesca do camarão. Visite também a Lagoa do Peri e do Meio. Além das praias e lagoas, Imbituba também tem algumas ilhas, como a SantAna de Dentro, SantAna de Fora, Araras, Tacami, Ouvidor e a Ilhota do Batuta. Faça um passeio de escuna e caminhe pelas trilhas ecológicas, que conduzem a praias desertas ou a lagoas misteriosas.

Imbituba conta com vários hotéis e pousadas e outras formas de hospedagem alternativa. A rede gastronômica serve de churrasco a frutos-do-mar e o comércio é tão atraente que muitos turistas vêm de outros Estados comprar mercadorias para revender em suas cidades. Fonte

Baleias Franca

A segunda espécie mais ameaçada de extinção (restam apenas 4 mil mamíferos no mundo) podem ser vistas e apreciadas em Garopaba e região entre maio e novembro, período em que ocorre o acasalamento, nascimento e amamentação dos filhotes.

Há a possibilidade de se fazer a avistagem de Baleias Franca a bordo de embarcações. Somente faça este passeio com especialistas no assunto.

Para melhor instruir os interessados em avistagem de Baleias Franca, retiramos o conteúdo a seguir do sitioweb http://www.baleiafranca.org.br, visto serem especialistas neste assunto.

O que podemos ver?

Geralmente pares de mãe e filhote são avistados, nadando em paralelo à costa, e muitas vezes expondo a enorme nadadeira peitoral ou a cauda, ou dando impressionantes saltos fora da água – tudo isso muito perto da praia!

Quando?

A temporada reprodutiva das baleias francas no Brasil é de julho a novembro, mas o melhor período para observação na principal área de concentração, a APA da Baleia Franca, é entre a segunda quinzena de agosto e primeira quinzena de outubro, quando um maior número de baleias francas costuma estar na região, permanecendo por vários dias nas enseadas.

Observando as Baleias Francas sem perturbar

A Lei Federal 7.643/87 e a Portaria IBAMA 117/96, além da Instrução Normativa IBAMA 102/06 que se aplica à Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca, garantem a proteção das baleias contra perturbações indevidas. Conheça algumas das normas para observar as baleias francas sem molestá-las:

1. Respeite as áreas fechadas à observação embarcada na APA da Baleia Franca (veja mapas junto ao texto da IN);

2. Respeite as distâncias de aproximação embarcada (desligar ou colocar os motores em neutro a 100m);

3. Nunca avance bruscamente na direção das baleias;

4. Nunca se aproxime por detrás das baleias, nem intercepte o seu curso, mantenha-se afastado em posição lateral;

5. Não separe grupos de baleias ou mães de filhotes;

6. Nunca religue os motores sem avistar claramente os animais na superfície;

7. Não faça ruídos desnecessários, nem jogue qualquer objeto na água;

8. Não permaneça junto às baleias por mais de 30 minutos;

9. Nunca nade em direção às baleias, o risco de acidentes é grande!

Dicas para uma boa avistagem:
Para ver as baleias a partir de terra, procure locais elevados e leve binóculos (10×50 são os melhores). Se embarcado, siga as normas acima para não perturbar as baleias, assegurando sua presença por mais tempo. Previna-se contra o frio e os ventos com roupas adequadas. Conheça e respeite a cultura das comunidades locais. Informe-se junto ao Projeto Baleia Franca sobre operadores de ecoturismo recomendados.

Vale a visita na região a outros destaques: Garopaba, Rosa Norte, Ferrugem, Silveira, Gamboa, Siriú, Ouvidor, Ibiraquera e Praia do Rosa.

2 thoughts on “Imbituba

Deixe uma resposta