Ilha do Mel

No século XVIII, a ilha do Mel era considerado ponto estratégico na defesa do Porto D. Pedro II, na baía da então Província de Paranaguá. Por ordem de D. José I, rei de Portugal, em 1767 foi construída ao norte da ilha a Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres, ou Fortaleza da Barra. O objetivo era garantir a segurança do porto, 15 milhas adiante, onde era embarcado o ouro, a madeira e, mais tarde, a erva-mate, extraídos das terras do continente.

Os canhões da Fortaleza, apontados para o canal de entrada do porto, cuspiram fogo em 1850, quando o vapor de guerra inglês “Cormorant” cercou e aprisionou três naus nacionais carregadas de escravos. A batalha ficou conhecida como “Combate Cormorant”.

Daquele tempo restaram apenas as ruínas, hoje tombadas e preservadas pelo Patrimônio Histórico. Calados, os canhões ainda apontam para o horizonte do alto das muralhas, no mirante do morro coberto pela vegetação de Mata Atlântica.

Deixe uma resposta