Garuva

Um colonizador francês planejava a implantação de uma comunidade baseada no socialismo utópico na área do município que foi fundado (emancipado) em 20 de setembro de 1973.

POssui em seu calendário trës festas: em Junho (Festa do Padroeiro), em julho (Festa do Colono) e em outubro (Festa da Banana).

Com 11.378 habitantes de origens francesa e portuguesa, tem an agricultura sua base econômica.

Está na região Nordeste do Estado de Santa Catarina, na microrregião de Joinville, a 226km de Florianópolis e nas proximidades de Itapoá, Joinville e São Francisco do Sul.

A primeira tentativa de implantar o município de Garuva aconteceu em 1841, com o colonizador francês Benoit Jules de Mure. Ele inspirou-se num projeto do filósofo francês Charles Fourier e planejava a implantação de uma comunidade baseada no socialismo utópico. As propostas revolucionárias foram postas em prática em duas léguas de terra da antiga Península do Saí, às margens da baía de São Francisco. A estrutura baseava-se em uma colônia de produção e consumo, mas o sistema não deu certo. A iniciativa de colonizar a região, contudo, originou o povoado de São João do Palmital, ligado a São Francisco do Sul. O desenvolvimento arrastou-se por décadas. A maioria dos moradores da colônia seguiu para o norte do Estado à procura de trabalho e, próximo a BR-101, formou outra comunidade, onde hoje fica a sede do município. Somente a partir de 1914, com a chegada dos portugueses Cândido da Veiga e Tolentino Salvador, a localidade progrediu com mais rapidez. O movimento popular pela emancipação do distrito começou em 1963 e culminou em 29 de fevereiro de 1964, quando Garuva foi desmembrada de São Francisco do Sul, tornando-se município autônomo.

Deixe uma resposta