Flores da Cunha

Cerca de 30 mil habitantes, 710 m de altirude, 150 Km de Porto Alegre, colonização italiana, vizinha a Caxias do Sul, Farroupilha e Bento Gonçalves. Assim é Flores da Cunha.

Flores da Cunha foi colonizada no início de 1879 quando trinta famílias vindas do norte da Itália, mais precisamente das províncias de Vêneto, Piemonte e Treviso, estabeleceram-se no lugar que denominaram Nova Trento.

Em 1903, através do Frei Teófilo, assentaram a pedra fundamental onde 11 anos mais tarde seria erguida a Igreja Matriz. Seu nome é uma homenagem ao general José Antonio Flores da Cunha. A cidade possui vários atrativos naturais, destacando-se a Cascata e Mirante Bordin-Gelain.

Flores da Cunha é o maior produtor de vinhos do Brasil e 2º polo moveleiro do RS.

Um forte apelo de Flores da Cunha é a preservação das tradições culturais, herdadas dos imigrantes italianos, fundamentados na língua, na gastronomia, na música, na religiosidade, nos usos e costumes nos demais elementos da cultura de imigração da região nordeste do Estado do Rio Grande do Sul.

Flores da Cunha tem dentro do turismo de compras a Feira da Vindima e a Feira de Inverno. No turismo religioso tem Corpus Christi e Romaria ao Frei Salvador, trilhos e tapetes confeccionados em serragem colorida pela nossa comunidade. E ainda a festa maior – a celebração da uva e do vinho, dos costumes através da Festa Nacional da Vindima. Vale lembrar também que sempre aos fins de semana em alguma comunidade do interior acontece uma festa em honra ao santo padroeiro da localidade.

Além das belezas naturais, podemos verificar o modo simples de viver do povo. Há também as vinícolas que estão abertas para mostrar ao turista as técnicas de preparação do vinho e a degustação destes.

Deixe uma resposta