Atrativos Turísticos de Jaguaruna

Praias

Arroio Corrente, Camacho e Dunas do Sul. Também merecem ser visitadas as praias de Campo Bom, Nova Camboriú, Copa 70, Janaína, Torneiro, Esplanada e Figueirinha, algumas ainda não exploradas pelos turistas.

Lagoas

As lagoas de Garopaba, Figueirinha, da Encantada, do Campo Bom, Preta, de Jaguaruna e do Delfino, todas indicadas para o banho e para a pesca, completam o roteiro de opções aquáticas da cidade.

Chuveirão

Roda d’água construída na década de 1950 para gerar energia elétrica.


Sambaqui

São mais de 30 sítios arqueológicos, incluindo o de Garopaba do Sul, considerado o maior sambaqui do mundo em extensão. O sítio arqueológico tem uma área de 101.000m2, medindo cerca de 25 metros de profundidade, e equivale a 10ha.

Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores

Museu de Jaguaruna

Estação Ferroviária

Passeios turísticos ferroviários são realizados uma vez por mês

Ruínas da Casa da Nação

Barra do Camacho

De onde se pode ver até o Farol de Santa Marta, em Laguna.

Turismo Rural

Além de ter boa infra-estrutura turística nas praias, que possuem hotéis, áreas de acampamento e infra-estrutura adequada para receber os turistas, Jaguaruna também oferece turismo rural, com trilhas ecológicas, banho em lagoas, campings, pousadas e bons restaurantes.

Jaguaruna

Palco de esportes radicais como surfe de areia, as dunas de Jaguaruna movem-se ao sabor dos ventos.

Fundada em dezembro de 1930, tem sua base econômica diversificada entre Agricultura, com ênfase no plantio de arroz e de mandioca, além de pesca, turismo e pecuária.

Jaguaruna tem 14.000 moradores fixos e cerca de 150.000 habitantes no verão. Sua origem populacional é da etnia açoriana. Está localizada no Litoral sul de Santa Catarina, a 165km de Florianópolis. Suas cidades vizinhas principais são Tubarão e Criciúma.

O município de Jaguaruna começou a ser povoado a partir de 1867. O coronel Luiz Francisco Pereira, o primeiro morador, ganhou uma sesmaria na região sul da província de Santa Catarina e no mesmo ano transferiu-se para as novas terras. Por causa da presença de um tipo de onça preta existente na região, a cidade recebeu o nome de Jaguaruna (onça preta, em tupi-guarani). Os principais colonizadores foram os açorianos, que chegaram a partir de 1870.